Coronavírus

Prefeitura poderá adquirir 200 mil doses da vacina russa Sputnik V

publicado em 21 de abril de 2021 - Por BJD
Administração Municipal manifestou interesse na aquisição de 200 mil doses (Konstantin Mikhalchevsky)

A Prefeitura de Bragança Paulista anunciou nesta terça-feira, 20, interesse em adquirir 200 mil doses da vacina Sputnik V.

A Secretaria de Saúde já solicitou à empresa distribuidora internacional de medicamentos TMT Globalpharm LTD, o envio de proposta comercial e condições para o fornecimento da Sputnik V, para dar continuidade ao processo de aquisição.

Após o recebimento das informações e condições apresentadas, a Prefeitura deve remeter uma Carta de Acordo aprovando os termos da negociação e informar o número de doses necessárias. Na sequência do processo, distribuidora encaminha uma Minuta de Contrato para apreciação, em que após a conferência deste, será providenciado pela empresa o Contrato definitivo.

De acordo com o prefeito Jesus Chedid, o interesse pela compra da Sputnik V é mais uma ação em busca de vacina. “Nós somos o primeiro município do Estado de São Paulo na fila para a aquisição de vacinas do Instituto Butatan, a Coronavac. Em janeiro, nós enviamos um ofício ao Diretor-Geral do Instituto Butantan, Dr. Dimas Tadeu Covas, declarando o interesse em adquirir 248 mil doses da Coronavac”, afirmou o prefeito.

“Nós também aderimos ao Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras, o Conectar. Queremos vacina suficiente para imunizar toda a população e se Deus quiser vamos vencer essa pandemia”, finalizou o Chefe do Executivo.

A vacina Sputnik V é de origem Russa e acondicionada em frascos que comportam até 10 doses, sendo necessárias duas doses para cada pessoa, aplicadas em um intervalo de 21 dias. De acordo com o governo russo, a taxa de eficiência da Sputnik V é de 97,6%.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou no início de março uma resolução que regulamenta a importação por estados e municípios de vacinas e medicamentos contra a Covid-19 que não possuem registro sanitário ou autorização de uso emergencial no Brasil, em consonância com a Medida Provisória (MP) 1.026/21, conhecida como MP das Vacinas, aprovada pelo presidente da República Jair Bolsonaro.

Conversas no Facebook