Colunistas

Você, agente transformador!

publicado em 18 de agosto de 2020 - Por Ambiente em Pauta

Você já se permitiu parar por um instante que seja, respirar fundo e refletir sobre suas atitudes e escolhas de impacto transformador para você e para aqueles que estão ao seu entorno? Busque em sua memória, ações, decisões que de alguma forma contribuíram para pequenos impactos positivos.

Este texto de hoje é um convite para você  refletir sobre o quanto, e como, você pode fazer a diferença agindo em prol de transformações positivas para você e para a sociedade. Somos todos agentes de transformação, protagonistas de uma sociedade justa e saudável. O mundo sempre foi repleto de problemas, mas a questão não é de tentarmos resolver os problemas mais graves. Realizando, de forma séria, pequenas ações que estão ao nosso alcance, podemos beneficiar muitas pessoas direta e indiretamente.

Percebe-se que a sociedade está mudando, se organizando em rede, o que nos permite conectar com pessoas que abraçam causas semelhantes às nossas e unirmos forças que levam a mudanças.

Não precisamos agir de forma isolada, sozinhos. Podemos nos dedicar a causas já existentes, como ONG’s, associações, coletivos, movimentos sociais que sempre estão em busca de novos braços, olhares de pessoas capazes de desenvolver uma consciência de mundo diferente.

Talvez pensemos que não temos tempo para nos dedicar a alguma causa, que nossa rotina não permite olharmos para outras possibilidades de ação. Mas, vamos para uma conta simples: você trabalha oito horas por dia, que são quarenta horas semanais, e que são 160 horas mensais.

Caso queira começar a contribuir com a mudança ao seu redor, comece se dedicando aos poucos, com 1% do seu tempo, que será, caso sua rotina se encaixe na conta que fizemos, uma hora e trinta minutos por mês. Começando devagar, aos poucos, as chances de você prosseguir e não desistir depois são maiores.

Quando nos dedicamos a ações de impacto coletivo, também estamos nos dedicando ao nosso legado, ao que construímos durante a vida, que nos fará sermos lembrados mesmo quando não estivermos mais aqui.

Talvez o que você tenha encontrado em sua memória ao fazer o exercício logo no início da leitura, fez você sorrir, se emocionar, perceber o quanto já se dedicou por causas coletivas e não apenas por causas individuais. Ou não. Talvez o que você tenha encontrado te fez refletir sobre o quanto poderia ter feito, contribuído para mudar positivamente situações e realidades. Mas não se preocupe, ainda temos tempo!

Para finalizar, uma frase de reflexão: “Você não vai transformar o mundo. Mas também não vai se juntar nem vai ser confundido com aqueles que parecem fazer com que o mundo esteja cada vez pior” (Trecho do livro ‘A decisão de que o mundo precisa’, do autor Celso Gresso, Editora Gente).

Gostaria de sugerir novos temas, opinar sobre os assuntos aqui apresentados? Entre em contato: raquelsilp@hotmail.com

Raquel da Silva Pinto, Engenheira Ambiental e Sanitarista, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais.