Colunistas

Pertencemos ao Todo

publicado em 9 de março de 2021 - Por Ambiente em Pauta

Pensei em contribuir com estas considerações, porque ainda me pego conversando com algumas pessoas que acreditam que o meio-ambiente é uma coisa externa a elas.

Uma coisa secundária. Às vezes, ouço: Ah, mas eu tenho tanta coisa pra pensar, tanto problema pra resolver, vou pensar em meio-ambiente? Isso me fez lembrar de estar em sala de aula, quando o professor fez a seguinte pergunta: Aonde está a Natureza? Todos os alunos, sem exceção, apontaram para fora da sala de aula! Uns apontaram para as árvores, outros para o céu, mas nenhum de nós apontou para si mesmo!

Então, durante a aula o professor explicou o que a Ciência já havia comprovado; que, nossa matéria, nosso corpo é formado pelos mesmos componentes químicos, os mesmos átomos, elétrons e partículas (só que dispostos de maneira diferente) da terra, das árvores, de tudo o que nos permeia. Portanto, não existe o “lá fora”. Temos apenas e tão somente a sensação de não pertencer, porque temos um corpo físico separado e vivemos experiências individualizadas, na maioria do tempo. Essa separação é uma ilusão!

Sendo assim, tudo o que acontece ao meu redor e me afeta, deveria me interessar! Nós pertencemos ao meio. Nós somos o meio-ambiente. Somos um só corpo.

Compreender que tudo está interligado e conexo entre si é fundamental para expandir nosso modo de pensar, de sentir e de agir.

Tudo funciona num sistema de interdependência. Você sabia que a areia do deserto do Saara viaja mais de 5 mil quilômetros para fertilizar a nossa floresta Amazônica?

De acordo com uma pesquisa feita pela NASA, essa areia do deserto é riquíssima em fósforo e a floresta amazônica precisa desse elemento. “A água da chuva e dos rios carrega o fósforo da matéria orgânica em decomposição no solo amazônico, impedindo que ele se deposite e alimente as plantas locais (Gabriel Garcia, Exame 02/02/2015).

É importante salientar que as mudanças climáticas que vêm ocorrendo no planeta, muitas pelas mãos dos homens, afetarão, sobremaneira, um esquema natural de interdependência de tudo com todos. E as consequências são graves. As mudanças climáticas provocadas pela ação humana podem desencadear uma série de problemas sociais, tais como água imprópria para o consumo, insegurança alimentar, extinção de várias espécies da fauna e da flora.
Você sabia que o desmatamento provoca doenças, epidemias?

Segundo a médica espanhola Maria Neira, “o desmatamento intenso feito em nome da economia de curto prazo tem efeitos devastadores para o futuro da humanidade. Os animais que vivem nesses lugares (devastados) sofrem profundas transformações… 70% dos últimos surtos epidêmicos começaram com o desmatamento”. (El País, 06/02/2021)

Portanto, tudo o que acontece com nosso planeta nos afeta direta ou indiretamente.

Em 1988, o Brasil inseriu em sua Constituição a Lei de Crimes Ambientais. Em seu artigo 225, dispõe sobre “o reconhecimento do direito a um meio-ambiente sadio como uma extensão ao direito à vida, seja pelo aspecto da própria existência física e saúde dos seres humanos, seja quanto à dignidade desta existência, medida pela qualidade de vida”.

Viver em um ambiente saudável é fundamental para o equilíbrio de cada ser.

Estar atento e buscar participar e entender o que esse tal de meio-ambiente quer dizer, entender o que está ocorrendo em nossa cidade, nosso país, é uma maneira de contribuirmos para um meio mais qualitativo de vida. E outra, a gente pode evitar que a boiada passe!

E pra você? Aonde está a natureza?

Maria Aparecida dos Santos – Socióloga, pós-graduada em transdiciplinaridade, saúde e educação – Unipaz, e colaboradora do Coletivo Socioambiental de Bragança Paulista