Colunistas

Hugo Wolf (1860-1903)

publicado em 8 de junho de 2021 - Por Odila Baisi

Um dos poucos que durante o tempo do domínio absoluto de Brahms em Viena, ousaram hostilizá-lo para exaltar a arte de Bruckner, foi o compositor Hugo Wolf, depois de Shubert, Schumann e Brahams, o último grande mestre do “lied” romântico. Desprezado em vida, foi reconhecido logo depois de sua prematura morte, encontrando sua arte adeptos entusiasmados e até fanáticos na Áustria, Alemanha e Inglaterra.

Wolf era nacionalista pan-germânico, hostil ao Império Austríaco multinacional em que nasceu. Natural da Styria, uma região quente e de muito vinho, perto da fronteira linguística com a Itália, foi um homem violento e mau caráter. Atribui-se que uma grave infecção o levou à loucura. Ele morreu no manicômio, aos 43 anos de idade.