Colunistas

Camille Saint-Saëns – (Paris 1835-Argel 1921)

publicado em 2 de março de 2021 - Por Odila Baisi

Charles Camille Sant-Saëns, considerado menino prodígio por seu virtuosismo no piano, tornou-se uma das personalidades mais destacadas da vida musical parisiense.

Suas obras, de formato conservador, apresentavam grande fantasia melódica e harmônica, e dominavam os programas das salas de concertos. Exerceu grande influência em outros destacados compositores, como Gabriel Fauré e Maurice Ravel. De suas 13 óperas, “Sansão e Dalila” continua sendo apresentada com frequência.

Esta foi estreada em Weimar, em 1877, dirigida por Franz Liszt, grande admirador e protetor de Sait-Saëns. A influência de Liszt na obra de Saint-Saëns é nítida, como exemplo, o poema sinfônico “Dança Macabra” (1874). Uma das obras mais populares e apreciadas de Saint-Saëns é “O Carnaval dos Animais” (1886), uma suíte para orquestra com dois pianos.

Em dezembro deste ano, completam-se os cem anos de falecimento de Saint-Saëns.