Colunistas

Ambroise Thomas (1811-1896)

publicado em 15 de junho de 2021 - Por Odila Baisi

Ambroise Thomas foi um melodista por excelência, ao qual a cultura literária do seu tempo também mandou procurar assuntos em literaturas estrangeiras.

Escolheu problemas que seu amável e limitado talento nunca poderia resolver; mas resolveu-os para a satisfação do seu público. Mignon (1868) é exploração insuportavelmente sentimental de um grande episódio de um romance de Goethe; Thomas só soube enfeitá-lo com melodias graciosas, mas o sucesso foi internacional e continua até hoje.

Mas Hamlet (1868) já não é representado; a ideia de atribuir ao príncipe da Dinamarca uma canção de brinde, assim como a rotina operística parisiense exigiu, foi demais. Resta lembrar que esse compositor quase frívolo foi um excelente professor de conservatório.