Saúde

Secretaria de Saúde ampliará locais de vacinação contra a Influenza para evitar aglomeração em postos

publicado em 20 de março de 2020 - Por BJD
Primeira etapa da vacinação é voltada aos profissionais de saúde, que estão na linha de frente no atendimento ao público, e idosos (Arquivo/BJD)

Tem início na próxima segunda-feira, 23 de março, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe). De acordo com o calendário de vacinação, idosos e trabalhadores da área de saúde foram priorizados.

Para evitar aglomeração, a Secretaria Municipal de Saúde irá ampliar os locais de vacinação. Além dos 29 postos de saúde e as unidades da zona rural, haverá cerca de 10 pontos itinerantes na cidade.

“Pedimos aos idosos para não irem todos na manhã, logo na segunda-feira para tomar a vacina. Temos o dia todo”, afirmou a secretária de Saúde, Marina Oliveira. As unidades estarão abertas das 8h00 às 17h00 e quatro postos têm horário estendido até as 21h00: na Planejada I, Planejada II, Santa Luzia e Vila Aparecida.

ANTECIPAÇÃO DA VACINAÇÃO

O Ministério da Saúde decidiu antecipar a vacinação contra a Influenza, devido ao surgimento do novo Coronavírus. Embora esta vacina não previna contra o Covid-19, ela funcionará como manobra de contenção, já que deve diminuir a procura pelos serviços de saúde.

A antecipação do início da campanha de vacinação será para todo o território nacional, porém, foi possível porque o Instituto Butantan, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, já disponibilizou o estoque de vacinas ao órgão federal.

Segundo o coordenador do Centro de Contingência do COVID-19 em São Paulo, o médico infectologista David Uip, embora a vacina contra a gripe não seja diretamente efetiva contra o novo coronavírus, a imunização ampliada é fundamental para reduzir a capacidade de contaminação nos próximos meses.

“Vacinando mais, mais pessoas estarão protegidas e menos suscetíveis a doenças. É uma decisão absolutamente fundamental neste momento em que nós estamos começando a enfrentar um novo vírus. O Instituto Butantan está produzindo 75 milhões de doses desta vacina, é um recorde absoluto. Isto representa 10% da produção mundial”, declarou o infectologista.