Saúde

Como a alimentação hospitalar  ajuda na recuperação do paciente

publicado em 16 de outubro de 2019 - Por BJD
Da esq. para a dir.: As nutricionistas Alice Borges Desanti, Deise Rafaela Dias Ferreira, Kaline Penteado Nassif Martins e Nathalia Aparecida Izepe da Silva (Foto: Divulgação)

Uma equipe multidisciplinar atua no Complexo Hospitalar Santa Casa no tratamento da pessoa hospitalizada

A nutrição é a base da vida, é o princípio, o elemento-chave para a saúde. Sua ciência visa não só a manutenção da saúde, como também a prevenção e o tratamento de doenças.

No ambiente hospitalar, a nutrição alcança ainda maior expressão, pois se torna fator determinante para a melhora ou piora do quadro clínico do paciente e da resposta ao seu tratamento.

A desnutrição é uma condição muito recorrente no hospital e um dos maiores agravantes da saúde neste âmbito. Pode ser prévia ou instalada durante a internação, em decorrência da gravidade do quadro clínico, de possível perda de apetite, mudanças nos hábitos diários do paciente, depressão, dentre outros inúmeros fatores. Aumento de complicações clínicas, do tempo de internação e dos custos hospitalares, internações não planejadas, maior risco de infecções e mortalidade, são consequências diretas da desnutrição, que pode ser evitada ou tratada com uma Terapia Nutricional bem conduzida.

No Complexo Hospitalar da Santa Casa de Bragança Paulista, logo no início da internação é realizada uma triagem nutricional pela equipe de nutricionistas. Esta triagem aponta se há ou não risco de desnutrição, identificando se o paciente necessita de Terapia Nutricional. Se o paciente não apresenta risco, a triagem é repetida após 7 dias.

Caso apresente risco para desnutrição, é realizada, então, uma avaliação nutricional mais aprofundada que trará o diagnóstico nutricional do paciente: eutrofia (estado nutricional adequado), desnutrição leve, moderada ou grave. Assim, o paciente que for identificado com risco para desnutrição já terá acompanhamento nutricional iniciado pela nutricionista responsável pelo setor de internação, que implementará a Terapia Nutricional adequada a ele, de acordo com sua indicação.

Além dos profissionais médicos, nutricionistas, enfermeira e farmacêutica, que obrigatoriamente devem compor a Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional (EMTN), ela é composta ainda por: fonoaudióloga, fisioterapeuta e assistente social.

“Todos trabalhamos em conjunto para um único objetivo: o bem-estar e a saúde dos nossos pacientes” disse a nutricionista Kaline Penteado Nassif Martins.