Polícia

Roubos e furtos seguem em alta no município

publicado em 30 de maio de 2018 - Por BJD
Foram registrados quatro casos de homicídio nos 4 primeiros meses do ano

Os roubos em geral e de veículos em Bragança Paulista no primeiro quadrimestre foram um número maior que no mesmo período de 2017. Os furtos de veículos também apresentaram alta e os furtos em geral diminuíram.

Os casos de assassinato (homicídios ou latrocínios) seguem no mesmo patamar e os estupros reduziram. Os dados foram divulgados no final da tarde da última sexta-feira, 25, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).

Assassinatos seguem média do ano passado; estupros caem

Os roubos em geral de janeiro a abril apresentam elevação de 15,7%, de 102 para 118 casos nos quatro primeiros meses. Em abril o aumento é de 59%, de 22 para 35. Os roubos de veículos aumentaram 93,75% de janeiro a abril, de 16 para 31, enquanto no que diz respeito ao quarto mês do ano a elevação é de 75%, de quatro para sete, de 2017 para 2018.

Os furtos de veículos subiram 31,7%, de 41 para 54 ocorrências. Em abril deste ano 17 veículos foram furtados, contra 13 em abril de 2017, aumento de 30,7%. Já os furtos em geral de janeiro a abril deste ano caíram 20%, de 841 para 672.

Em abril, a redução foi de 85,7%, de 431 para 232. Entretanto, no comparativo com março, quando haviam sido registrados 125 casos, o número de furtos, que vinha caindo gradativamente, subiu 85%. A alta, segundo as forças de segurança, ocorre em função dos furtos de celulares na Festa do Peão, geralmente em abril.

Os homicídios dolosos (com intenção de matar) seguiram no mesmo patamar nos quatro primeiros meses do ano. Tanto em 2017 quanto em 2018 ocorreram quatro casos no período. No entanto, somente em abril, aconteceram quatro casos em 2017 contra nenhum neste ano. Já os latrocínios (roubo seguido de morte) seguem zerados desde dezembro de 2016.

A diminuição mais significativa é apresentada nos estupros e estupros de vulneráveis. Houve 30 casos a menos em 2018 na comparação com o primeiro quadrimestre de 2017, redução de 35 para cinco (85,7%). Em abril não houve nenhum registro em 2018, contra nove no mesmo mês do ano passado.

VEJA MAIS NOTÍCIAS RELACIONADAS: