Polícia

DIG prende assassino de tatuador no Águas Claras

publicado em 11 de setembro de 2020 - Por BJD
Jason Lopes, de 21 anos, responde por homicídio qualificado, com prisão temporária de 30 dias

Na noite da última quinta-feira, 10 de setembro, Jason Lopes, considerado o autor dos disparos que matou Rodolfo Ribeiro dos Santos, no Jardim Águas Claras, foi preso no Aeroporto Internacional de Guarulhos, enquanto tentava embarcar para os Estados Unidos.

Em entrevista ao Bragança-Jornal na manhã desta sexta-feira, 11 de setembro, o delegado responsável pelo caso, Elton Costa, disse que o interrogatório do suspeito tem como principal intuito compreender a motivação do crime e se há outras pessoas envolvidas no caso.

O caso

Na manhã do último domingo, 6 de setembro, Rodolfo Ribeiro dos Santos, de 29 anos, foi morto a tiros na porta de sua residência, no Jardim Águas Claras. Sua mulher relatou aos policiais que Rodolfo teria atendido a porta e dito que alguém iria usar o banheiro. Em seguida, ela ouviu os tiros e, ao sair, encontrou o marido na calçada, todo ensanguentado. O SAMU foi acionado, mas Rodolfo não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

Investigação

Segundo Elton Costa, a polícia iniciou as investigações com a coleta das imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais próximos ao local do crime e com a escuta de várias pessoas que tinham ligação com a vítima, conseguindo identificar uma vinculação em comum com motoclubes e um possível problema entre eles. Assim, na última quinta-feira 10 de setembro, foi possível identificar a pessoa que esteve no local do crime.

Em uma mochila, ele carregava objetos que foram devidamente apreendidos e serão analisados

“Casualmente, quando chegamos a esse esclarecimento, como estávamos prestes a pedir a prisão temporária dele, identificamos que o indivíduo tinha dupla cidadania, ele era cidadão americano, e por conta disso entramos em contato com a Polícia Federal, que identificou que ele tinha dado entrada no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Ou seja, ele estava prestes a deixar o país e fugir”, declarou o delegado.

Assim, o Ministério Público e o Poder Judiciário foram acionados em regime de urgência para uma decretação da ordem de prisão temporária. No aeroporto, em contato com a Polícia Federal, foi identificado que ele já estava no setor de embarque, aguardando um voo para Houston, nos Estados Unidos. “Ele já havia passado por todo o setor de revista e identificação da PF para embarque internacional e estava aguardando simplesmente o horário do voo para embarcar”, explicou Elton. Com o auxílio da Polícia Federal, Jason foi encontrado no banheiro, onde foi feita a abordagem e ele foi detido.

De acordo com o delegado, Jason Lopes, de 21 anos, nasceu nos Estados Unidos, filho de pai brasileiro e mãe mexicana. Há aproximadamente quatro anos ele veio morar no Brasil, na cidade de Engenheiro Coelho, próxima a Campinas.

O delegado ainda informou à reportagem do Bragança-Jornal que por conta de sua vinculação a grupos de motocicleta, ele tinha amigos em Bragança Paulista e já havia estado algumas vezes na cidade. “Inclusive, algum tempo atrás ele foi detido com um veículo de procedência criminosa e preso em flagrante por receptação culposa. Por se tratar de um crime de pequeno potencial ofensivo, ele não foi preso e aguardava o julgamento em liberdade”, declarou Elton sobre a passagem policial de Jason.

Próximos passos

Durante a apreensão, Jason não quis apresentar qual foi a motivação do crime, permaneceu em silencio e solicitou a presença do seu advogado. “Ele será interrogado e nós vamos tentar esclarecer de uma forma cabal o crime. Não descartamos a possibilidade da participação de outras pessoas, tanto no crime, quanto no auxilio na sua fuga. T

odos esses fatos ainda serão esclarecidos agora e depois da análise do telefone e do computador encontrados com ele”, afirmou o delegado. Além desses aparelhos eletrônicos, também foram encontrados com ele em uma mochila, uma troca de roupa, um soco inglês, passaportes e duas fotografias de Adolf Hitler.

Até o fechamento desta reportagem, o interrogatório ainda não havia sido realizado, estando previsto para a tarde desta sexta-feira, 11 de setembro. Jason responde por homicídio qualificado, com prisão temporária de 30 dias, que pode, havendo necessidade, ser prorrogada por igual período. O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Bragança Paulista.

Conversas no Facebook