Polícia

Cerca de mil escoltas foram realizadas pela Polícia Rodoviária Federal

publicado em 31 de maio de 2018 - Por BJD

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou em seu balanço mais recente, divulgado na noite de terça, 29, que já escoltou 1.129 caminhões de cargas em todo o país e que as operações vão continuar até que a paralisação de caminhoneiros seja desmobilizada.

O Exército acompanhou a PRF em boa parte das ações. Foram registradas ainda até o fechamento do relatório, 751 desinterdições em rodovias federais. Até a manhã de quarta-feira, 30, a PRF realizava o mapeamento de atividades em 616 pontos de aglomeração de caminhoneiros, sem bloqueios ou interferências do fluxo rodoviário, com posicionamento de veículos e pessoas em áreas às margens das rodovias, incluindo aglomerações de movimentos diversos aos de caminhoneiros.

Foram encaminhadas pela PRF à Advocacia Geral da União (AGU) diversas situações para autuações baseadas em decisão judicial do Superior Tribunal Federal (STF) determinando o desbloqueio de rodovias.

Foram realizadas também nessa quarta-feira, nas rodovias de São Paulo, operações conjuntas em que PRF, Exército, Força Aérea Brasileira e Polícia Militar realizaram comboios, escoltando todos os motoristas que desejavam retornar à estrada. Esses comboios se dirigiram a várias regiões do país.

Em cada um dos pontos de acúmulo de caminhões houve equipes para realizar o resgate/escolta dos motoristas que desejaram sair. Alguns caminhões permaneciam parados nos antigos pontos de manifestação em função de pane mecânica ou aguardando mais tempo para seguir viagem.

A CCR NovaDutra, que administra a Rodovia Presidente Dutra (BR-116), informou que não existiam mais pontos relevantes de manifestação de caminhoneiros na rodovia após a ação das tropas do Exército, da Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal na manhã desta quarta-feira, 30, onde deram apoio aos caminhoneiros que desejavam deixar os locais e seguir viagem. Os pontos foram desmobilizados sem registro de resistência dos grupos.

Na Fernão Dias havia paralisação apenas em alguns postos do trecho do sul de Minas Gerais, como em Extrema, Itapeva, Lavras, Carmo da Cachoeira, São Gonçalo do Sapucaí, Pouso Alegre e Três Corações. Acostamentos e pistas estavam liberados.

Na Régis Bittencourt, os únicos pontos de manifestação na tarde dessa quarta-feira, 30, segundo a concessionária Arteris, que administra a rodovia, no km 385 Sul (Miracatu-SP) e km 477 Norte e Sul (Jacupiranga-SP). Porém não havia restrição a tráfego de caminhões. O fluxo seguia sem lentidão para todos os veículos.