Polícia

Autor de homicídio no Parque Brasil em 2017 é preso pela DIG

publicado em 13 de junho de 2018 - Por BJD
Elton Andrade dos Santos, 25 anos, foi encontrado na manhã dessa terça-feira, 12, num apartamento no Conjunto Habitacional Henedina Cortez

O autor de um homicídio ocorrido em 7 de outubro do ano passado na Rua João Pastrana, no Parque Brasil, foi detido por policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) na manhã desta terça-feira, 12, num apartamento no Bairro Henedina Cortez.

De acordo com informações da equipe liderada pelo delegado José Glauco Lobo Ferreira, após oito meses de investigação Elton Andrade dos Santos, 25 anos, foi identificado como autor do homicídio de José Marcelo Pires, 40 anos, no ano passado.

Atendente de farmácia foi assassinado
após discussão com um traficante

Com mandado de prisão autorizado pela Justiça na última sexta-feira, 8, os investigadores se dirigiram na manhã desta terça-feira, 12, ao apartamento onde Elton residia com a família.

Segundo os investigadores, na noite do crime Marcelo bebia num bar e, indignado com o tráfico de drogas no local, discutiu com Elton, acusado de comercializar os entorpecentes.

Marcelo saiu do bar, se dirigiu a seu carro para pegar uma arma e foi até Elton para atirar. Nesse momento eles entraram em luta corporal e Elton tomou a arma de Marcelo e o matou.

O corpo de Marcelo foi encontrado próximo de seu veículo, um GM/Corsa, prata, placas de Bragança Paulista, que estava com a porta do motorista aberta, e tinha no banco do passageiro um coldre de couro e um celular. Embaixo do corpo de Marcelo tinha três pedras de crack e um projétil amassado.

Marcelo residia no Jardim Novo Mundo, trabalhava como balconista de farmácia, era solteiro e tinha dois filhos, uma menina de quatro anos e um menino de dois.

Elton em seu depoimento, por sua vez, confessou o crime, mas disse que agiu em legítima defesa. Segundo ele, Marcelo estava bêbado e foi para cima dele com a arma. Elton disse que tentou convencê-lo a não atirar e mesmo assim Marcelo disparou, mas não conseguiu acertar.

Em seguida, Marcelo se dirigiu ao carro e efetuou outros dois disparos, mas também não acertou. Ele então saiu com o carro, andou alguns metros à frente, recarregou a arma, voltou, desceu do carro e novamente tentou atirar em Elton.

Foi quando eles se atracaram e Elton disse que tirou a arma de Marcelo, mas ele conseguiu segurar sua mão, e enquanto um tentava tomar a arma da mão do outro, ocorreu o primeiro disparo, que acertou o pescoço de Marcelo.

Mesmo assim, o autor disse que, mesmo praticamente desfalecido, Marcelo tentou tomar a arma novamente e outro disparo ocorreu. Elton fugiu com a arma e disse que a jogou num córrego nas proximidades do crime; enquanto Marcelo morreu instantes depois.

Elton, que estava em liberdade condicional pelo crime de tráfico de drogas, foi encaminhado para a cadeia pública de Piracaia.