Polícia

Apreensões de armas de fogo diminuem cerca de 90% no município

publicado em 1 de maio de 2018 - Por BJD
arquivo/BJD

O número de armas de fogo apreendidas em Bragança Paulista diminuiu 89,5% no primeiro trimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2017. Foram apreendidas quatro armas de janeiro a março de 2018, ante 38 nos três primeiros meses do ano passado. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) divulgou no final da semana passada os dados estatísticos de criminalidade e produtividade policial referentes a março de 2018.

Das quatro armas de fogo apreendidas neste ano, três foram no mês de março. A outra havia sido em fevereiro. Em março do ano passado foram apreendidas 18 armas.

Outros indicadores como ocorrências por tráfico de drogas, flagrantes lavrados, prisões em flagrante, veículos recuperados e inquéritos policiais instaurados apresentam diminuição na produtividade policial do primeiro trimestre, mas em percentuais pequenos.

Por outro lado, houve um aumento nas prisões por mandado e apreensões de menores infratores, por exemplo.

ESTATÍSTICAS CRIMINAIS

Nas ocorrências policiais há no primeiro trimestre um aumento no número de homicídios dolosos (com intenção de matar) no município, de um para quatro, na comparação com o ano passado. Em março houve um homicídio, ante nenhum no mesmo mês de 2017.

Os homicídios culposos por acidente de trânsito tiveram um aumento de 90%, de um para dez, no primeiro trimestre. Em março deste ano foram quatro contra um em 2017.

Os roubos também aumentaram. Nos roubos em geral a alta é pequena, de 80 para 83 no trimestre e em março houve uma redução de 35 para 28 casos. Já os roubos de veículo dobraram de janeiro a março deste ano, de 12 para 24 registros e em março a alta foi de três para sete ocorrências.

Os furtos também apresentam alta no trimestre. Nos furtos em geral, de 410 para 440. Os furtos de veículos subiram de 28 para 37. Em março, porém, ambos os indicadores de furto apresentaram redução. Foram 125 casos de furtos em geral em março deste ano, ante 161 no mesmo mês de 2017. Foram furtados dez carros em março de 2018 contra 14 no mesmo mês do ano passado.

Todavia, os casos de estupro e estupro de vulnerável tiveram uma queda neste ano. Somadas as duas modalidades, foram 16 casos em 2017 nos primeiros três meses, ante cinco no mesmo período deste ano, 68,7% a menos.

ESTADO DE SP

Ao contrário do município, porém, o estado de São Paulo fechou março e o primeiro trimestre do ano de 2018 com queda nos registros de casos e de vítimas de homicídios dolosos e de latrocínios, em comparação com idênticos períodos de 2017. O mesmo se repetiu com todas as modalidades de roubos e de furtos.

Os casos de homicídio doloso caíram 11,3%, passando de 301 para 267, com 34 a menos em março. Já no trimestre, a diminuição foi de 12,8%, caindo de 878 para 766, ou seja, 112 casos a menos.

Os latrocínios caíram 32,3% no terceiro mês deste ano, passando de 31 para 21 ocorrências. Já nos três primeiros meses do ano, o indicador reduziu 36,5%, caindo de 104 para 66.

Os roubos em geral diminuíram tanto no mês quanto no primeiro trimestre. Em março, a redução do indicador foi de 25,5%, com 7.695 ocorrências a menos (de 30.175 para 22.480). De janeiro a março houve queda de 17,1% dos casos, que passaram de 81.746 para 67.773.

Os roubos de veículos caíram 24,9% no terceiro mês do ano, passando de 6.374 para 4.790. De janeiro a março houve queda de 23,4% nas ocorrências de roubos de veículos, que recuaram de 18.052 para 13.828, ou seja, 4.224 a menos.

Os furtos de veículos diminuíram 11% no comparativo mensal. O total caiu de 9.872 para 8.787 ocorrências contabilizadas. A redução verificada no mês é de 1.085 registros.

Já no trimestre, o indicador contou com 5,6% de diminuição. O recuo foi de 1.486 casos, caindo de 26.609 para 25.123. Os furtos em geral diminuíram 14,4% no mês, de 48.593 para 41.616 registros. Entre janeiro e março, houve queda de 2,4% do indicador, que passou de 134.187 para 131.005 casos.

Já os estupros no estado, diferentemente do município, tiveram aumento de 21,2% no mês e de 20,7%, no acumulado do trimestre. Em março, passaram de 978 para 1.185. Já na soma dos três primeiros meses do ano foram de 2.667 para 3.218 registros.