Colunistas

Trânsito ruim

publicado em 9 de março de 2019 - Por Marcus Valle

Trânsito continua horrível em Bragança. As equivocadas alterações (na Praça Nove de Julho e ao longo da Imigrantes) obrigam os motoristas a darem voltas desnecessárias, e os engarrafamentos são constantes.

2 – Trânsito… engarrafamento

Para quem vem dos bairros da zona sul (Bosques da Pedra, Santa Helena, Jardim do Sul etc.) e da Fernão Dias, todos os dias há engarrafamentos, por causa da rotatória do Habib´s (que está com concentração de veículos). Resultado: o trânsito para perto do supermercado Spani, e o tráfego é muito lento.

3 – Trânsito: Imigrantes

Na Avenida dos Imigrantes, o trânsito continua lento devido aos semáforos. Para se dirigir à Secretaria de Saúde ou Câmara Municipal, muitos optam por usar um atalho pelo Jardim América (rua da OAB).

Para adentrar ao acesso às estradas de Socorro e Amparo, a demora é maior. Isso também se reflete no sentido contrário, e em outros locais.

4 – Trânsito: reflexos

Enfim… já passou da hora da Prefeitura tomar alguma providência… seja estudando alternativas viáveis, seja voltando à situação anterior (que era “menos ruim”, para não dizer melhor).

5 – Carnaval

Carnaval como sempre teve sucesso de público e muita participação. É uma festa popular que parte considerável da população gosta e participa.

Mas temos as reclamações de sempre: falta de banheiros públicos, muita gente urinando nas ruas, fiação sendo cortada sem comunicação às empresas responsáveis, roteiro inadequado para desfile de blocos que crescem muito etc. São coisas que devem ser resolvidas no ano que vem… afinal, errar é humano, insistir é teimosia.

6 – Furto e roubo

Muita gente confunde os crimes de furto, art. 155 do Código Penal (menos grave) e roubo, art. 157 do Código Penal (mais grave). Ambos são crimes contra patrimônio. No furto o agente subtrai (leva) um objeto móvel alheio (joias, TVs, carro, dinheiro etc.) sem que o proprietário seja ameaçado ou sofra violência.

O roubo é a subtração de dinheiro ou objetos com violência ou submissão da vitima. É o chamado assalto.
Se alguém entra numa casa, sem que o dono esteja, e leva uma bicicleta, comete furto; mas se ele aponta uma arma para um ciclista, ou o derruba para levar a bicicleta, é roubo. Equivocadamente as pessoas muitas vezes dizem que foram roubadas, quando foram furtadas.

7 – Furtos de bicicletas

Estamos tendo muitos furtos de bicicletas nos últimos dias em Bragança. Normalmente os crimes ocorrem quando os proprietários se distraem ou deixam em garagens ou quintais de residências. Pode ser que haja esquema de receptação. Pedimos à policia civil para investigar essa possibilidade.

8 – Lago do Orfeu

Moradores do bairro, e usuários do Lago do Orfeu, reclamam bastante de problemas, a maioria que poderia ser resolvido com vigilância no local (esse é a maior omissão em nossos parques, praças e áreas verdes).

As reclamações são as de sempre: pessoas usando drogas, lixo atirado, pesca ilegal (principalmente à noite), atos sexuais em carros ou nas margens, cães sem coleiras etc.

Lá é um local belíssimo, que deve ser conservado, vigiado e mantido.

9 – Conservação de áreas verdes

Aliás, no que se refere a praças e parques (Orfeu, Eucalipto, Taboão, Araucárias, dos Padres, das Aves, São Miguel, Tanque do Moinho, Jardim Público, Matadouro etc.) há uma dificuldade de vigilância e conservação. A prefeitura poderia tentar viabilizar parcerias com a iniciativa privada para melhorar a questão.

10 – Ordem econômica e meio ambiente

Revista Planeta, da Editora Três, resiste bravamente por 46 anos, desde 1972, o que é difícil, já que hoje a mídia impressa concorre com a digital. Mas, com tiragem de 42 mil exemplares, na sua última edição, publicou excelente reportagem (sete paginas) sobre a importância de uma política ambiental consequente e inteligente para conciliar com o agronegócio e as exportações. Mostra que aquela visão tosca e simplória que defesa do meio ambiente e atividade econômica são antagônicos, não pode ser adotada pelo governo federal.

11 – Pesca com rede

Pelo menos uma vez por semana eu pratico remo no Tanque do Moinho. Por diversas vezes observo redes armadas no local. Algumas vezes vi pessoas armando redes e cheguei a interpelá-las, às vezes com discussões.
Seria fundamental que tivéssemos diligências continuas no local, tanto pela policia ambiental como pela municipalidade.

12 – Barragens em Bragança

Prefeitura respondendo nosso pedido de informação sobre represas, através do secretário Paulo Armando, garantiu que as comportas dos lagos do Moinho e Taboão são constantemente vistoriadas, e não oferecem efetivo risco.
Quanto à barragem da Sabesp (que também indagamos a outras autoridades) estamos aguardando as respostas.

13 – Folclore: Ambos têm razão

Anos 80 ou 90. Dois vereadores discutiam asperamente, e partiram para mútuas ofensas, tipo: “safado”, “mentiroso”, “picareta” e outros adjetivos mais. Eu, vendo que a coisa iria piorar, tentei pacificar, entrando na conversa, e pedindo calma.

Eles param, mas um deles, perguntou:
– Você acha que eu estou certo?

Tentei não tomar partido, mas proferi uma frase infeliz (juro que não foi proposital):
– Eu acho que ambos têm razão no que disseram.

Os outros começaram a rir… e até os dois riram… quando viram meu embaraço.