Editorial

Editorial: A certeza do dever cumprido

publicado em 25 de janeiro de 2021 - Por BJD

O verdadeiro reconhecimento de um trabalho se dá aos olhos daquele que por ele é contemplado. Este foi o sentimento durante um fim de semana repleto de mensagens de apoio, solidariedade e tristeza, expressados após o anúncio interrupção da circulação do Bragança-Jornal.

Nos surpreendemos com a quantidade de apoiadores da imprensa escrita e que reforçaram a credibilidade que empenhamos durante esta jornada.

Pudemos, com muito carinho, acolher todos aqueles que por meio de amigos, colaboradores e diretores declararam a importância que este periódico tem para o município. Nesta longa trajetória obtivemos conquistas e satisfações, cujos frutos muitos já foram colhidos e outros ainda hão de brotar, pois uma história tão rica e consistente não se dissolve assim tão rápido.

Às 16h00 de sexta-feira, 22 de janeiro, a edição 14.720 do Bragança-Jornal era finalizada. Pouco tempo depois, quando os primeiros exemplares começaram a ser entregues, rapidamente a notícia impressa no editorial se espalhou. Com espanto e tristeza, muitas pessoas passaram a se manifestar. Grupos de WhatsApp, comentários e compartilhamentos em redes sociais, ligações e e-mails nos fizeram compreender a grandeza do trabalho realizado até aqui.

Mais desafiador que o anúncio da interrupção dos trabalhos está sendo a despedida mediante tal acolhimento daqueles que por algum momento da vida fizemos parte. Dentre as mensagens recebidas, muitos fizeram memória das importantes edições e das visitas à redação. Se despedem, neste momento, com muito carinho, aqueles que por anos e gerações se mantiveram assinantes. Também os que faziam questão de ir às bancas de jornal ou empresas parcerias logo pela manhã para adquirir seu exemplar.

Ao mesmo passo em que as manifestações de tristeza foram expressas, os mesmos leitores e amigos também demonstraram seu apoio e compreensão à decisão tomada, pelo momento em que vivemos. Os avanços tecnológicos são necessários, mas ofuscaram as características tradicionais até hoje mantidas nesta redação.

Hoje, os holofotes estão sobre o online, o imediatismo, o compartilhamento instantâneo e a possibilidade de interagir em uma rede virtual. As leituras nas praças, durante o café da manhã ou os comentários sobre os acontecimentos do dia hoje ocorrem essencialmente pelo celular, embora um número surpreendente de pessoas tenha manifestado sua adesão ao jornalismo impresso, por meio da leitura do Bragança-Jornal, pela credibilidade que ele é capaz de proporcionar.

Porém, ainda assim, esta decisão se faz necessária. Agradecemos o sentido que todos trouxeram para estes 93 anos de história que o Bragança-Jornal construiu, e findamos este ciclo com a certeza da integridade e responsabilidade com que sempre trabalhamos, e, como resultado, a certeza do dever cumprido.

Conversas no Facebook