Cotidiano

Vereadores questionam falta de professores de apoio na rede municipal

publicado em 6 de março de 2020 - Por BJD
Secretário de Educação Adilson Condesso respondeu questionamentos sobre sua pasta na sessão semanal da Comissão de Comissão de Finanças (DCI)

Nesta semana, a sessão semanal da Comissão de Finanças, Orçamento, Obras, Serviços Públicos e Desenvolvimento Urbano teve a participação do secretário municipal de Educação, Adilson Moreira Condesso, que esclareceu dúvidas dos vereadores em relação à falta de professores de apoio na rede municipal e detalhou as ações previstas para 2020.

O tema professores de apoio surgiu na sessão anterior da Comissão, e levou ao convite para que o secretário participasse dos trabalhos da comissão legislativa. Rita Leme (DEM) e Fabiana Alessandri (PSD) questionaram a situação logo de início e Adilson Condesso respondeu que atualmente a rede municipal possui 271 alunos com laudos de alguma necessidade especial, e destes, 221 precisariam de profissionais de apoio.

Este trabalho é realizado por estagiários, que recebem capacitação periódica. Porém, o quadro de estagiários da Educação está com déficit de 65 pessoas para suprir os atendimentos.

O secretário explicou que o contrato de mais de 60 estagiários venceu em janeiro e não podem mais ser renovados, e o novo processo seletivo só pôde começar a partir disso. “O prefeito Jesus Chedid nos dá carta branca para essas contratações, temos recursos financeiros para isso, mas estamos com problemas de material humano. Fizemos um processo seletivo para 70 estagiários em janeiro e concluímos com apenas 36, que iniciam na segunda-feira. Estou pedindo mais estagiários. A tradição aqui era só chamar estagiários de Pedagogia da cidade.

Trabalhamos em parceria com o Ciee (Centro de Integração Empresa-Escola) e definimos que vamos ampliar os estágios também para os estudantes de Letras e bacharéis em Psicologia. Isso é inédito. Vamos ver os resultados. Estamos também liberados para contratar estagiários de qualquer cidade da região”, explicou Condesso.

Outro ponto frisado é que os estagiários recebem capacitação com profissionais do Núcleo de Apoio ao Professor e ao Aluno (Napa) e do Núcleo de Apoio à Aprendizagem (NAA) para posteriormente atuarem com os alunos.
A vereadora Fabiana também questionou o secretário em relação à construção de uma nova escola no Bairro do Campo Novo, pedido feito por ela através de moção votada e aprovada pela Casa em 2019. “O prédio atual é muito antigo, pequeno, tem problemas estruturais, a escola fica em uma curva. Fizemos reunião com os moradores e com o prefeito. Como está o andamento disso?”, perguntou.

Condesso respondeu que a escola realmente possui um prédio bastante antigo e atende cerca de 50 anos. “A manutenção lá nem sempre foi feita da maneira adequada. Após as reuniões no bairro, foi determinado que fosse feito um estudo para novas obras. Este estudo está pronto e agora estamos em fase de análise de viabilidade. Precisamos fazer as planilhas e levantar os custos da obra”, explicou.

O secretário concorda que o local merece cuidados, mas destacou o trabalho que tem sido realizado visando a recuperação dos prédios. “Infelizmente, boa parte da ‘lição de casa’ de infraestrutura não foi feita em anos anteriores. Pegamos um prédio com situação de calamidade. Para construir um prédio novo precisa de orçamento. A gestão irá avaliar. Mesmo assim, já afirmo que o prédio da escola está na lista de ações de revitalização. Independente de um prédio novo, o prédio atual vai passar por melhorias”, confirmou, alegando que já são mais de 40 escolas entregues revitalizadas.

O vereador Sidiney Guedes (PMN) aproveitou a presença do secretário para esclarecer problemas pontuais, como o caso de goteiras na escola do Menin. Condesso detalhou o que aconteceu e assegurou que a Prefeitura fez os reparos necessários. Natanael Ananias (PSC) comentou a grande quantidade de crianças com laudos na rede municipal e o secretário informou que a tendência é de aumento. Mario B. Silva (SD) cumprimentou o secretário pelo empenho na pasta e pediu que levasse suas considerações a todos os funcionários da Educação.

A presidente da Comissão, Fabiana Alessandri, falou de outras obras realizadas e Condesso confirmou. “Se a cidade está um canteiro de obras, a Secretaria de Educação pode ser considerada um ‘minicanteiro’. Temos obras por todos os lados. Ao todo 51 escolas receberão acessibilidade. Temos a escola do Campinho com a quadra que será coberta, caixa d’água em obras. Tendo o recurso em caixa, tudo o que está sendo pedido está sendo feito”, afirmou.

A pedido do vereador Sidiney Guedes, Condesso ainda contou sobre a novidade implementada neste ano com a central de vagas, para melhorar a distribuição dos alunos na rede municipal.

“Os pedidos de vagas eram feitos diretamente nas secretarias das escolas. Muitas vezes uma mãe ia na escola A,B, C e deixava nome. Com isso, nunca sabíamos o número exato de alunos, como adotar os critérios para seleção da vaga. Com muito cuidado criamos essa central de vagas de 2019 para 2020. Quem coordena todas as vagas é a Secretaria de Educação.
Temos 15.600 vagas na educação municipal. Agora temos o controle diário de transferências e escolas que possuem vaga. Não temos demanda de vagas, o que normalmente acontece é que o aluno muitas vezes quer estudar mais próximo da sua casa. Acredito que a central de vagas seja um legado”, concluiu.