Cotidiano

Soltar fogos de artifício requer cuidados

publicado em 23 de junho de 2018 - Por BJD
Paulo Rogério Bertolini dá instruções para quem queira adquirir fogos de artifícios

As festas juninas e a Copa do Mundo têm impulsionado a venda de fogos de artifício. Mas são necessários cuidados para evitar acidentes, que podem ir de queimaduras leves a gravíssimas, ou causar perda de dedos das mãos ou mesmo parte da musculatura.

Nesta semana, o BJD conversou com Paulo Rogério Bertolini, proprietário de uma loja desse segmento e especialista em shows pirotécnicos, que falou um pouco sobre os cuidados que o consumidor deve ter quando for manusear fogos em festividades juninas e julinas ou até mesmo em gols da seleção brasileira.

Além de adquirir produtos de qualidade, especialista
alerta para que a compra seja feita em lojas autorizadas

Uma das primeiras recomendações é adquirir fogos em lojas autorizadas. Segundo Bertolini, o consumidor deve atentar se o local tem os alvarás necessários para vender esse tipo de produto; se o estabelecimento segue a lei federal e as normas do Exército que regem esse segmento; além de observar o fabricante e também o local onde soltarão os fogos. Ainda de acordo com Bertolini, os Bombeiros e a Prefeitura são os órgãos responsáveis pela regulamentação desses estabelecimentos, mas a fiscalização é por conta da Polícia Civil.

Outra recomendação feita pelo comerciante é quanto ao que o consumidor pode adquirir. “Eu não saio vendendo o que o cliente quer. Eu costumo perguntar o que será feito e principalmente o local. Assim, faço a venda dos produtos de acordo com a segurança. Eu não viso apenas o lucro, a segurança vem em primeiro lugar”, disse.

Há produtos para a linha infantil, adulto e profissional. “O perigo em comprar em locais clandestinos é que a pessoa coloca em risco sua própria vida e a de terceiros”, afirmou. Para denunciar, basta ligar nas delegacias da Polícia Civil.
Veja as dicas de cuidados para curtir as festas com segurança: ler e seguir as instruções da embalagem; usar fogos em locais abertos, ver se não há substâncias inflamáveis ou redes elétricas nas proximidades; sempre armazenar fogos em local frio e seco; não segurar os fogos de artifício com as mãos, prenda em uma armação e não fique próximo na hora de acender; sempre soltar fogos sob a supervisão de adultos e de acordo com a idade recomendada dos produtos; nunca tentar reutilizar os fogos que tenham falhado; nunca atirar fogos na direção de outras pessoas; nunca atirar fogos de lugares fechados, como carros ou residências; não utilizar fogos após ingerir bebidas alcoólicas; entre outras.

“Em 25 anos, nunca aconteceu algum acidente, seja com quem tenha comprado os fogos ou em algum show pirotécnico”, finalizou Bertolini.