Cotidiano

Procurador de Justiça pede maior rigor para crimes do cotidiano

publicado em 1 de dezembro de 2018 - Por BJD
Especialista em Direito Penal Tributário com três manuais publicados nessa área, Fernando Arruda atuou como escrivão e delegado de polícia, promotor de Justiça Criminal, curador do Meio Ambiente, do Consumidor e dos Registros Públicos em Bragança Paulista.

Em entrevista ao BJD nesta semana, o procurador de Justiça Criminal do Ministério Público, Fernando Arruda, afirmou que é necessária uma atenção especial do novo governo para enrijecer penas de crimes do cotidiano, como receptação, porte de armas de uso restrito e homicídio e regras para presas grávidas, saída temporária e indulto.

Matéria completa na edição impressa de sábado, 1 de dezembro.