Cotidiano

Primeira sessão ordinária do ano teve choro, discursos acalorados e troca de farpas

publicado em 6 de fevereiro de 2019 - Por BJD
Crédito: Gerson Gomes

A primeira sessão ordinária do Poder Legislativo bragantino de 2019, realizada na tarde e noite de terça-feira, 5 de fevereiro, durou mais de seis horas e foi marcada por discursos acalorados dos vereadores, algumas trocas de farpas, que já são costumeiras, e até choro.

Os vereadores apontaram vários problemas, mas também pontos positivos da Administração.

Na Tribuna Livre, a conselheira tutelar Marisa Lima falou sobre a Semana Nacional de Preservação da Gravidez na Adolescência; e Luiz Alexandre Kastanopoulos comentou sobre o aumento da cobrança da taxa de lixo.

MATÉRIAS

Duas moções foram aprovadas durante a sessão. A moção 73/2018, de autoria da vereadora Rita Leme (DEM), solicita a implantação do ensino de Libras (Língua Brasileira de Sinais) na grade curricular municipal; e a moção 74/2018, do vereador João Carlos Carvalho (PSDB), requer ao Executivo que seja encaminhado à Câmara projeto de lei regulamentando o compartilhamento e o uso intensivo do viário urbano em Bragança para exploração e atividade econômica, ou seja, o uso de aplicativos de transporte no município.

Matéria completa na edição impressa de quinta-feira, 7 de fevereiro.