Cotidiano

Prefeitura e Sabesp se manifestam sobre esgoto a céu aberto em condomínio

publicado em 26 de agosto de 2020 - Por BJD
Esgoto a céu aberto tem causado transtornos aos vizinhos (Divulgação/Leitor)

Há cerca de duas semanas, moradores da Rua Antonio Cursi procuraram a reportagem do Bragança-Jornal para reclamar de esgoto a céu aberto no local, proveniente do Condomínio Nova Cidade, loteamento fechado vizinho ao bairro Henedina Cortez.

Nesta semana, após serem procuradas pela reportagem, a Prefeitura e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) se manifestaram.

Segundo os moradores da Rua Antônio Cursi, via que faz divisa com o condomínio, tem um terreno com várias fossas, inclusive um poço de visita (PV) da Sabesp. Segundo o síndico do Condomínio Nova Cidade, Pérsio Franco, essa área é de pré-tratamento do esgoto do loteamento, e para resolver o problema, “está aguardando a Prefeitura terminar uma obra do lado de fora do condomínio para a Sabesp fazer a ligação de esgoto”, afirmou Pérsio, que conversou com a reportagem na manhã dessa quarta-feira, 26.

O Bragança-Jornal esteve no local e conversou com alguns vizinhos, que disseram que o problema tem se agravado nos últimos meses, principalmente em dias mais quentes. O mau cheiro é insuportável, segundo os moradores.
Nesta semana, a reportagem entrou em contato com a Sabesp e a Prefeitura.

A Companhia de Saneamento Básico informou que “vistoriou o local e constatou que as redes coletoras de esgoto da Companhia, localizadas nas vias públicas, estão operando normalmente. O vazamento de esgoto apontado está localizado dentro de um terreno que pertence ao Condomínio Nova Cidade, e a responsabilidade da manutenção das instalações prediais internas é do próprio condomínio”.

No entanto, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Obras, informou que o “Condomínio Nova Cidade é um empreendimento particular, que possui solução própria de tratamento de esgoto”. “Ocorre que os equipamentos pertencentes ao condomínio tiveram problemas de funcionamento, o que ocasionou o problema relatado.

A Prefeitura teve conhecimento do problema apontado e, em conjunto com a Sabesp, realizou vistoria no local. Foi verificado pelos técnicos que a rede de esgoto poderia ser implantada no Condomínio, ainda que essa responsabilidade fosse do loteador, porém, havia a necessidade da obra que está sendo realizada pela Prefeitura, de recomposição do processo erosivo do bairro Henedina Cortez, fosse concluída. A referida obra está em vias de ser concluída e a Sabesp iniciará a implantação da rede de esgoto para que as fossas do Condomínio possam enfim ser desativadas”.

O síndico do condomínio, Pérsio Franco, disse à reportagem que participou de uma reunião com representantes da Prefeitura e da Sabesp, e ficou estabelecido que após o término da obra que está sendo executada pela Prefeitura em uma erosão no bairro Henedina Cortez, próxima à Rua Júlio Menin, a Sabesp terá um prazo para a colocação da rede de esgoto.

Moradores informaram que entraram em contato com a Vigilância Sanitária (Visa) e que não haviam tido retorno. Ao Bragança-Jornal, a Visa afirmou que “não tinha qualquer denúncia aberta com o endereço citado”.

Os moradores vizinhos ao loteamento, sabendo das respostas dos envolvidos (Prefeitura, Sabesp e Condomínio), ficaram estarrecidos ao não saberem até quando eles ficarão respirando aquele mau cheiro e conviver com o esgoto a céu aberto. Embora a Prefeitura e o condomínio tenham dito que a Sabesp terá que implantar a rede coletora de esgoto após o término da obra do processo erosivo, não há data prevista para que o caso seja solucionado.

Conversas no Facebook