Cotidiano

Pagamento instantâneo deve chegar ao Brasil no ano que vem

publicado em 30 de dezembro de 2019 - Por BJD
Foto: Divulgação

Realidade em países como China e Austrália, o pagamento instantâneo promete chegar em breve no Brasil.

Responsável pela implementação da modalidade no país, o Banco Central do Brasil (Bacen) está atuando desde de 2018 nos estudos e na definição das regras para implementação, que está prevista para novembro de 2020.
O pagamento instantâneo vai permitir a transferência de valores em tempo real, seja entre pessoas físicas, para empresas ou até mesmo para órgãos públicos. Dessa forma, não será necessário aguardar para que o valor seja disponibilizado efetivamente para o recebedor.
 Além de ser instantânea, a modalidade tem a vantagem de ser disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ou seja, o beneficiário terá acesso ao valor imediatamente mesmo em casos de pagamentos ou transferência nos fins de semana, feriados e fora do horário bancário, ao contrário do que acontece com os TEDs e DOCs, por exemplo.
 A transação vai funcionar de forma rápida e simples. Para utilizar a modalidade, o usuário deverá ter uma conta com prestador de serviço de pagamento, seja um intermediador ou uma instituição de pagamento (IP), como a Gerencianet. 
 O pagamento poderá ser feito de diversas maneiras: por meio da inserção manual dos dados do recebedor, como acontece hoje com as transferências bancárias; pela inserção de uma chave de endereçamento, que pode ser o e-mail, número de celular ou documento (CPF/CNPJ); pela geração de um QR Code do Recebedor ou ainda por um QR Code que identifique o pagador, tudo de forma online e simplificada.
 Além da agilidade e disponibilidade, o pagamento instantâneo terá uma estrutura mais flexível e simples, permitindo a abertura do mercado para um maior número de prestadores de serviço.