Cotidiano

Opinião do leitor: Municipalização de estradas estaduais

publicado em 10 de agosto de 2019 - Por BJD

Nesta semana, o Bragança-Jonal trouxe a notícia de que o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) fará o recapeamento da Rodovia Farmacêutico Francisco de Toledo Leme, a Variante do Taboão, fato este confirmado pelo deputado estadual Edmir Chedid.

Na última quinta-feira, 8 de agosto, o Bragança-Jornal publicou a matéria “Municipalização das estradas estaduais deve ser discutida no Plano Diretor”, pois o assunto repercutiu na cidade.

Na matéria citada, o vereador Luís Henrique Duarte comentou que irá incluir essa discussão quando o projeto de lei que revisa o Plano Diretor chegar à Câmara, caso não esteja contemplado. Por nota, a assessoria do deputado estadual Edmir Chedid informou que o parlamentar é “contrário à municipalização de trechos urbanos de rodovias estaduais”. Segundo o parlamentar, a municipalização resultará em prejuízos à administração pública municipal, que será responsável pelas obras de melhorias e pelos serviços de manutenção do sistema viário. “A Prefeitura de Bragança Paulista, por exemplo, teria que dispor de muitos recursos financeiros para promover melhorias aos trechos urbanos de rodovias. Atualmente, o poder público municipal encontra dificuldades até para a manutenção de estradas vicinais. Por isso, sou contrário à municipalização”, disse.

O leitor Nivaldo Grasson, engenheiro, comentou sobre o assunto em mensagem enviada à redação. “Acho que o nosso parlamentar tem razão. Se for passar todos os trechos pertencentes ao Estado para responsabilidade do município, vai onerar demasiadamente as despesas. No entanto, a Variante do Taboão, como o trecho é pequeno e é o acesso principal da cidade, ‘é o hall de entrada da casa’, merece uma atenção diferenciada. É por ali que  a visita vai entrar e tirar suas conclusões da postura e da gestão do administrador. Infelizmente o Estado não vai dar o devido atendimento, a burocracia pública é muito complexa, o trabalho para uma pequena obra é tão igual para uma grande obra. Portanto, deixo aqui meu ponto de vista se não valeria insistir pelo menos para esse trecho.Um forte abraço! Estamos juntos por uma Bragança que todos queremos”, afirmou.