Cotidiano

Oito pessoas são hospitalizadas após inalarem gás tóxico provocado por reação química na Estação de Tratamento de Água

publicado em 18 de março de 2020 - Por BJD
Área foi interditada após reação química provocada pelo uso de produtos no tratamento de água (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

No final da manhã de terça-feira, 17 de março, oito pessoas residentes próximas à Estação de Tratamento de Água (ETA) Jardim Santa Lúcia, da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), precisaram de serviços médicos, após inalarem gás tóxico. A informação foi confirmada pela própria empresa.

Segundo a Sabesp, na manhã de terça-feira, “devido a problemas durante o descarregamento de produto químico dentro da Estação de Tratamento (ETA) de Água de Bragança Paulista, houve a formação momentânea de odor químico”.

A Sabesp informou, em nota, que acionou a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, que as medidas cabíveis foram tomadas e a situação foi controlada. “Oito pessoas que moram nas proximidades da ETA sentiram mal-estar após o incidente e foram levadas a um hospital da cidade, com acompanhamento de uma assistente social da Sabesp. Todos foram liberados horas depois”, afirmou a Companhia.

Segundo apurado pela reportagem do Bragança-Jornal, a Secretaria Municipal de Saúde enviou a Vigilância Sanitária ao local. Técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) também foram apurar o incidente.
A Sabesp informou que a Estação de Tratamento de Água funciona normalmente e que não houve contaminação do abastecimento.