Cotidiano

“O cidadão é o chefe do promotor”, diz Rogério Filócomo Júnior, novo integrante do Ministério Público local

publicado em 25 de maio de 2019 - Por BJD
Rogério José Filócomo Júnior disse que é “uma responsabilidade muito grande trabalhar no mesmo local onde mora” (Crédito: Geson Gomes)

Com 20 anos de atuação no Ministério Público, sendo 15 anos na cidade de Mogi Mirim, o promotor Rogério José Filócomo Júnior, que é bragantino, retorna à cidade natal para trabalhar na 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Bragança Paulista.

Na última quinta-feira, 23 de maio, o promotor fez sua primeira visita ao Bragança-Jornal e declarou que “o cidadão é o chefe do promotor”.

Rogério ingressou no Ministério Público em 15 de junho de 1999 e foi promotor substituto em Bragança Paulista no ano de 2001. Na sequência, foi titular em Aguaí, onde permaneceu por dois anos e meio, e depois ficou 15 anos como titular na Comarca de Mogi Mirim. “Sou nascido e criado em Bragança e é uma responsabilidade muito grande trabalhar no mesmo local onde mora”, disse o promotor que será responsável pela 3ª Promotoria, que atua na área criminal e também tem atribuição de fiscalização do 2º e 3º Distritos Policiais, corregedoria do Instituto Médico Legal (IML) e do 34º Batalhão da Polícia Militar de Bragança Paulista.

Rogério José Filócomo Júnior disse que quer estabelecer uma aproximação maior com o público. “Hoje o Ministério Público é bem conhecido, mas muita gente não sabe que pode conversar com o promotor. O cidadão é o chefe do promotor”, afirmou.

Em Bragança, o Ministério Público atende a população das 13h00 às 17h00. As representações são feitas por escrito, podem ser identificadas ou anônimas.

Em Bragança Paulista, há oito promotorias, sendo quatro criminais e quatrooutras destinadas ao Meio Ambiente, Infância e Juventude, Consumidor, Idoso, Pessoas com Deficiência e Patrimônio Público, incluindo a repressão aos atos de improbidade.