Cotidiano

Município registrou chuva intensa no último domingo

publicado em 11 de janeiro de 2021 - Por BJD
Os estragos acometeram imóveis e veículos; secretarias municipais foram acionadas para ajudar a população (Secom/Davi Joel)
A cidade de Bragança Paulista enfrentou fortes chuvas no final da tarde deste domingo, 10 de janeiro, que causaram danos em diversos pontos.
De acordo com a Prefeitura, a chuva teve a intensidade de 58 mm e ventos de 40 km/h, registrados em aproximadamente 30 minutos, o que ocasionou alagamentos, quedas de árvores, dentre outros estragos.

Equipes das secretarias municipais de Segurança e Defesa Civil e Ação e Desenvolvimento Social (SEMADS) foram imediatamente acionadas. Uma força-tarefa foi formada e uma série de ações executadas para minimizar os impactos.

Um dos locais mais atingidos foi a Avenida Eusébio Savaio, onde a enxurrada invadiu três residências e arrastou alguns veículos e trailer estacionados na via. “As equipes estavam empenhadas nos trabalhos de limpeza e desobstrução das vias, além de eventuais reparos e atendimentos às ocorrências e chamados dos cidadãos, objetivando a normalização da situação o mais rápido possível”, declarou a administração.

No Parque Brasil, uma família precisou de assistência, pois sua casa apresentou risco de desabamento. A família foi alojada pela equipe da SEMADS e a residência isolada para análises e laudo posterior.

Dentre as ocorrências, houve registros de queda de árvores e do muro de uma residência que comprometeu o primeiro andar de um prédio de pequeno porte em um residencial.

DEMAIS OCORRÊNCIAS

Também foram registrados pontos de enxurrada nas proximidades da Terminal Rodoviário Dr. Sérgio D´Alessandro Ribeiro, no Matadouro, alagando a área externa do local; na Rua Ouro Preto, no Jardim São Lourenço; e na Rua Sebastião Cícero Franco, na Vila Davi, onde houve um deslocamento de uma caçamba de entulhos e veículos arrastados pela enxurrada.

A Defesa Civil ainda registrou três pontos de alagamentos: na Rua José Muniz Bueno, no Bairro Uberaba, onde duas casas foram atingidas, sendo as famílias atendidas pela SEMADS; na Avenida José Gomes da Rocha Leal (na altura da empresa Lo Sardo), onde ocorreu um alagamento parcial, sem prejuízo ao trânsito; e na Estrada Sônia Zenorini, nas Chácaras Julieta Cristina.

Houve também o registro de desabamento em quatro locais. Na Rua Sebastião Cícero Franco, na Vila Davi, a parede de uma casa desabou. Houve uma vítima leve e a família foi atendida pela equipe da SEMADS e encaminhada ao abrigo Centro DIA do Idoso.

PROVIDÊNCIAS

Na Vila Davi, as secretarias competentes farão vistoria para identificar a origem da água que causou o acúmulo. Emergencialmente, ficou definido que com relação à Avenida José Gomes da Rocha Leal será realizada uma reunião com a empresa contratada para a realização das obras para avaliar o método executivo para que os serviços tenham início o mais rápido possível.

No bairro Julieta Cristina, recentemente a Secretaria de Serviços colocou uma nova tubulação entre dois lagos. Para o rebaixamento do nível do lago à jusante será necessário o desassoreamento do ribeirão que vai do lago até a Rodovia Capitão Barduíno. Existe um compromisso com a empresa que executou obras de um loteamento industrial à beira da rodovia para fazer o desassoreamento. A Prefeitura está em tratativas para iniciar os serviços no menor prazo possível.

A Prefeitura também afirmou que está prestando toda a assistência aos membros da família cuja parede da casa desabou.

A Secretaria Municipal de Serviços, que constantemente realiza a limpeza de bueiros e córregos do município, ressaltou a necessidade do apoio e compreensão da população em relação ao descarte de lixo, que é um dos principais fatores que provocam a redução da vazão das galerias pluviais.


Conversas no Facebook