Cotidiano

HUSF implantará serviço de radioterapia

publicado em 9 de junho de 2018 - Por BJD
BJD

O Ministério da Saúde deu início ao processo de licitação para implantar o serviço de Radioterapia no Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus (HUSF).

A informação foi confirmada pela assessoria da entidade ao BJD na tarde dessa sexta-feira, 8 de junho. O aviso de licitação foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) no dia 16 de maio último.

“Com base no edital, o valor estimado da obra, com fornecimento e instalação de equipamentos de infraestrutura (segurança, automação, prevenção e combate a incêndio, climatização), dentre outros, é de R$ 6.072.313,08 reais, perfazendo um total de 722,35 m²”, detalhou a assessoria do HUSF.

A abertura dos envelopes com as propostas será no dia 25 de junho. “Após o processo de licitação, a empresa contratada terá 12 meses para conclusão dos serviços. Porém, esse tempo pode ser prorrogado”, informou o hospital.
A assessoria do HUSF também informou que essa verba não veio através de emenda parlamentar, “foi conseguida através de pleito do HUSF ao Ministério da Saúde”.

“O novo prédio será construído dentro do complexo hospitalar do Hospital Universitário e será de extrema importância não apenas para Bragança Paulista, mas também para outros 11 municípios da região”, finalizou a assessoria do hospital.

Segundo o Ministério da Saúde, a incidência de câncer vem crescendo no Brasil, assim como em todo mundo, acompanhando o contínuo crescimento, exposição a fatores de risco e mudança do perfil etário da população, se mantendo desde 2003 como a segunda causa de morte no país.

Em 2012, as estimativas de ocorrências divulgadas pelo Ministério para os anos de 2012/2013, demonstravam ser imprescindível a promoção de ações de controle do câncer, com enfoque na valorização da linha de cuidados envolvendo desde ações de saúde preventiva, associada à atenção básica, até de alta densidade tecnológica, aplicada ao diagnóstico e ao tratamento, este relacionado à assistência de alta complexidade.

“O câncer, enfermidade de elevada magnitude, demanda atenção tempestiva, tratamentos prolongados e acompanhamento adequado, dada a possibilidade de recorrência, exigindo uma rede de assistência ampla e articulada, bem como uma regulação efetiva, de forma a assegurar o acesso à assistencial integral, obtida pela integração de serviços especializados (cirúrgicos, radioterápicos e quimioterápicos)”, informa o Ministério da Saúde.

De acordo com Instituto Nacional do Câncer (Inca), os tipos mais frequentes em homens serão próstata (28,6%), pulmão (8,1%), intestino (7,8%), estômago (6,0%) e cavidade oral (5,2%). Nas mulheres, os cânceres de mama (28,1%), intestino (8,6%), colo do útero (7,9%), pulmão (5,3%) e estômago (3,7%).