Cotidiano

Mesmo com discussões, Centro de Referência da Mulher recebe o nome do Dr. Waldemar Muniz por unanimidade

publicado em 21 de outubro de 2020 - Por BJD
A 38ª Sessão Ordinária do ano durou aproximadamente 2 horas 30 minutos (DCI)

Na última terça-feira, 20 de outubro, a Câmara Municipal de Bragança Paulista realizou a 38ª Sessão Ordinária do ano tendo na pauta de votação uma moção e o projeto de lei que denominava o Cermulher (Centro de Referência da Saúde da Mulher), com o nome do Dr. Waldemar Muniz. Embora aprovado por unanimidade, o projeto causou algumas discussões e constrangimentos na Casa.

Momentos antes do início da sessão, foi protocolada uma Carta de Repúdio assinada pelo grupo “Batuque Raízes da Nega”, lida pelo vereador Luis Henrique Duarte, enquanto fazia uso da palavra na discussão do projeto. O grupo demonstrou na carta sua insatisfação em homenagear um homem, mesmo sendo ele um reconhecido professor universitário e médico ginecologista e obstetra, já que o local será um centro de referência à mulher.

“O futuro Centro de Referência da Saúde da Mulher, repita-se: da Mulher, deverá ser um equipamento público de saúde que represente, acolha e cuide do conjunto das mulheres, devendo, por isso e em sua inteireza, ser um espaço dedicado exclusivamente a este público, não havendo nenhuma razão lógica para receber, em sua denominação, um nome masculino, seja este qual for.

O nome do equipamento faz parte dele próprio e deve fazer jus a sua função, não a contradizer”, diz a nota do grupo “Batuque Raízes da Nega”, que ainda sugeriu que a homenagem fosse à Sra. Izilda Toledo. “Como se sabe, Izilda, atualmente com mais de 60 anos, é uma figura pública de Bragança e se destacou por sua atuação profissional na área da saúde, recebendo, inclusive, tal reconhecimento por esta casa, no ano de 2006”, inicia o argumento da nota.

Luis Henrique Duarte, após a leitura, se manifestou: “Ninguém é contra a homenagem ao Dr. Waldemar, porém, essa administração precisa entender que no mundo em que a gente vive, as mulheres precisam ter mais voz”. Em seguida, o vereador Cláudio Moreno fez uso da palavra e propôs que sugestões como essas sejam feitas à Casa,mas com a devida antecedência.

“Comungo com a ideia do coletivo de que nós precisamos homenagear mais mulheres. Sugiro a esse coletivo que procure o vereador de sua simpatia e traga currículos de mulheres que merecem essas homenagens. Nós não vamos ser contra isso, tenho certeza absoluta. O que nós não podemos deixar repetir aqui nessa Casa é o constrangimento [à família] do homenageado”, afirmou.

Em contrapartida, Basílio Zecchini disse que não havia a possibilidade de sugestão com antecedência, porque o Cermulher ainda não está finalizado. “Eu acho que o maior problema nesse momento é que a gente está discutindo a nomeação de um espaço público que não está terminado.

Falaram que as pessoas perderam a oportunidade de se manifestar, mas ninguém espera que se vá dar nome em uma construção cheia de tijolo, terra e cimento”. O vereador ainda sugeriu o adiamento do projeto, sendo apoiado somente por Luis Henrique Duarte.

Os vereadores Moufid Doher, Beth Chedid, José Gabriel e Fabiana Alessandri se manifestaram favoráveis à homenagem ao Dr. Waldemar Muniz. Sem o adiamento do projeto, a denominação foi aprovada por unanimidade.
O outro projeto da Ordem do Dia, uma moção visando a implantação de academia ao ar livre e miniciles com parque infantil no Bairro da Penha, também foi aprovada por unanimidade.

Manifestação dos vereadores

Na manifestação em relação a assuntos de interesse do município, o vereador Cláudio Moreno anunciou o protocolo do Projeto de Lei para regulamentar a atuação dos bombeiros civis na cidade, em conjunto com os vereadores Sidiney Gyedes e Paulo Mário Vasconcellos.

Ele também tornou a falar a respeito da antiga empresa responsável pelo transporte público, que não tem realizado a devolução correta aos passageiros que têm saldo no cartão. “Tem gente que tem no Cartão Vai R$800, tem gente que tem R$50, mas é vital para essa pessoa ir para o trabalho”, afirmou e sugeriu uma negociação direta entre a empresa Nossa Senhora de Fátima e a nova empresa, a JTP. “Se a empresa não aceitar isso, comprova que ela esta querendo passar a rasteira no cidadão que tem direito a receber de volta o seu crédito que está no Cartão VAI”, finalizou.

O vereador Benedito Franco Bueno parabenizou a atuação dos membros da Casa e também da Prefeitura, e questionou as pessoas que alegam que representantes do poder público realizam ações só em período eleitoral “Todos trabalharam com dignidade. Todos foram buscar o progresso da cidade”, afirmou.

Fabiana Alessandri reforçou um pedido à Secretaria de Mobilidade sobre os horários de ônibus que foram retirados e prejudicaram a população dos bairros Campo Novo, Biriçá do Valado, Serrinha, Bosques da Pedra, Euroville, Agudo dos Frias e Colinas da Mantiqueira.

O vereador Mario Benedito da Silva homenageou a atuação dos profissionais da Guarda Civil Municipal, em nome do Inspetor Vagner e do GCM Cléber.

Marcus Valle trouxe a manifestação do Sindicato dos Bancários a respeito da cobrança referente ao atendimento realizado na cidade, afirmando que muitos profissionais foram demitidos, sobrecarregando os que continuaram em atividade. Além de Marcus Valle, Benedito Franco Bueno também pontuou locais que precisam de melhoria na sinalização de trânsito.

Sidiney Guedes elogiou trabalhos de asfalto realizados em alguns bairros; sugeriu a abertura dos sanitários do Estádio Municipal; a implantação de sinalização para combate ao lixo na Praça Hermógenes de Paiva, na Vila Aparecida; e cobrou a entrega de documentos pelo Poupatempo.

Luis Henrique Duarte falou sobre a defesa do Executivo em relação à contratação da banda “Me Gusta” para apresentação no Carnaval. Segundo Luis Henrique, a alegação de defesa foi embasada em redução de custos. “A hora que se faz a conta, a contratação de Bragança custou cinco vezes mais do que na cidade que eles fizeram uso para dar o exemplo de que estavam economizando recursos. O montante da outra cidade era maior, mas ao analisar os dois contratos, os serviços na outra cidade eram maiores que Bragança”, declarou.

Paulo Mário falou a respeito da inauguração da Incubadora de Empresas, da qual empenhou grande esforço para que fosse criada e explicou como ela funciona. “Existe uma comissão que vai receber as propostas dos projetos para fazer a pré-análise. A partir do momento em que passar desta comissão, ela poderá ser incubada e vai receber todo o amparo necessário para desenvolver seu produto/ideia e tentar, em cima disso, criar um novo negócio”, salientou.

Conversas no Facebook