Cotidiano

Guarda Ambiental autua suspeitos por maus tratos a animais

publicado em 25 de janeiro de 2020 - Por BJD

Na última semana, a Guarda Civil Ambiental (GCA) conseguiu identificar, após denúncia anônima, dois suspeitos de praticarem crime de maus tratos a animais. Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil.

Os fatos iniciaram no dia 12 de janeiro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinária (SamuVet) recebeu uma denúncia com a informação de que duas pessoas, em um veículo Gol prata, abandonaram um cão na estrada rural do Bairro Passa Três. O cão tinha um saco na cabeça.

Quando chegou ao local, a equipe do SamuVet encontrou o animal em estado grave, apresentando miíase (infecção de pele causada pela presença de larvas de moscas) na região dos olhos e o corpo pintado com um spray prata. O animal foi atendido e ficou sob cuidados da Associação de Proteção aos Animais Faros d’Ajuda, mas morreu três dias depois.

Os responsáveis pelo crime foram identificados quando Guardas Civis Ambientais (GCA) atendiam outra denúncia de maus tratos de animais no Jardim Recreio. Eles viram um veículo com as características descritas na denúncia e suspeitaram que houvesse relação. Em pesquisa ao banco de dados da Divisão de Bem-Estar Animal (DIBEM), os responsáveis foram identificados.

No dia 16 de janeiro, os responsáveis por esse crime estiveram na Secretaria Municipal do Meio Ambiente para prestarem esclarecimentos sobre a ocorrência. Eles declararam que o animal estava doente e tinha mau cheiro e que para sanar o problema do odor aplicaram o spray prata no corpo inteiro, principalmente nos olhos, visando matar a bicheira.

Como não surtiu efeito e o animal não coube dentro de um saco, eles encobriram apenas a cabeça, o levaram até a estrada e o deixaram nas proximidades de uma escola com a intenção de que ele morresse. Os denunciados foram autuados e encaminhados à Delegacia Seccional de Bragança Paulista.

Maus tratos a animais é crime previsto na Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, artigo 32, com pena de detenção de três meses a um ano, e multa, além de contrariar o Estatuto de Proteção Animal do município, instituído pela Lei nº 4311, de 11 de maio de 2012.

Bragança Paulista conta com o SamuVet, que funciona 24h por dia, em resgate de animais sem dono e em situação crítica. O serviço possibilita o contato dos munícipes através de mensagens, foto ou vídeo do animal, além de sua localização, e pode ser acionado pelo telefone (11) 94304-1312, ligação ou WhatsApp, apenas em casos de real emergência.

As denúncias de maus tratos também podem ser feitas também na Secretaria do Meio Ambiente ou pelo e-mail dibem@braganca.sp.gov.br ou ainda pelo aplicativo do Sistema de Ouvidoria Municipal (eOUVE). Aos finais de semana, as denúncias devem ser feitas pelo telefone 153 (Guarda Civil Municipal).