Cotidiano

Fundação Casa diz que unidade de Bragança terá atividades suspensas, mas não será fechada

publicado em 7 de julho de 2020 - Por BJD
Foto – da Fundação casa Divulgação

O Bragança-Jornal trouxe com exclusividade em seu site, uma entrevista com a presidente da Associação Companheiros do Menor de Bragança Paulista (Comenor), Anna Maria Cerqueira Acedo, que informou sobre o fechamento da unidade da Fundação Casa local.

A Fundação Casa de Bragança Paulista trabalha em sistema de Gestão Compartilhada com a Comenor. “Estamos em Bragança Paulista há 13 anos e nunca tivemos problemas. Também não foi dada nenhuma justificativa para o fechamento. Em todos esses anos nós tivemos nossas contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Nunca gastamos mais do que recebemos do Governo Estadual. A gestão da Casa Bragança é exemplo”, disse Anna Cerqueira.

Segundo a presidente da Comenor, o comunicado foi feito pela supervisora regional da Fundação Casa, Magali Rainato, em reunião na manhã de terça-feira. “Ainda não fomos oficializados e sim comunicados do fechamento”, finalizou Anna Cerqueira.

O Bragança-Jornal entrou em contato com a assessoria da Fundação Casa, em São Paulo. Em nota, eles informaram que as atividades serão suspensas devido à baixa ocupação que vem se registrando nos últimos anos.

“Neste momento, também se mostrou necessária a otimização de recursos materiais, humanos e financeiros devido a grave crise orçamentária provocada pela pandemia da Covid-19. Os adolescentes que cumprem medida socioeducativa no Casa Bragança Paulista serão transferidos para centros de atendimento da mesma Divisão Regional, que propiciam facilidade às visitas por seus familiares, assim que passar a pandemia”, disse a assessoria.
A unidade local, que possui 56 vagas, atualmente está atendendo apenas 18 adolescentes, sendo que alguns residem em outros municípios.

O contrato com a Comenor vence no próximo dia 31 de julho. “Não se revelou razoável a renovação do contrato, com a manutenção de elevada despesa com 42 servidores efetivos, mais 27 contratados pela entidade para atender somente 18 adolescentes.

É oportuno ressaltar que não haverá prejuízo aos servidores da Fundação Casa, que serão realocados em centros preferencialmente próximos às suas residências, de acordo com processo de escolha, possibilitando a todos a manifestação de seu interesse”, esclareceu a assessoria da Fundação. Ainda de acordo com a Fundação Casa, a estrutura da unidade será mantida e poderá ser prontamente reativada se houver aumento de demanda na região.

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Bragança Paulista na terça-feira, 7, alguns vereadores repercutiram a notícia. O vereador Marco Antonio Marcolino (PSDB) afirmou que irá levar esse assunto ao deputado federal Vanderlei Macris e ao deputado estadual Edmir Chedid. “É uma preocupação grande do Conselho Municipal da Juventude. Precisamos fazer um movimento para manter a unidade em funcionamento”, disse.

O vereador Claudio Moreno (DEM) disse ter ficado surpreso com a notícia e, ao final da sessão, leu nota com as justificativas dadas pela Fundação Casa. O vereador Marcus Valle (PV) disse que durante todo esse tempo nunca houve problemas. “Nós temos que lutar para manter e que ocupe os nossos adolescentes”, afirmou.

Conversas no Facebook