Cotidiano

‘Formiguinha’ solicita apoio para continuar projeto beneficente

publicado em 1 de junho de 2019 - Por BJD
“Eu sou uma formiguinha”, diz Célia de Lima (Crédito: Gerson Gomes)

Há 17 anos, Célia de Lima, a “Formiguinha”, que mora no Bairro do Toró e desenvolve um trabalho humanitário naquele bairro carente, está precisando de apoio para tocar o projeto adiante.

O Projeto Formiguinhas nasceu da vontade de ajudar o próximo. “Eu sou uma formiguinha”, diz Célia, que trabalha como servente na Prefeitura.

Dentre as ações do projeto, estão a doação de alimentos às famílias carentes; festas em datas especiais para crianças, como Natal, Dias das Crianças, Páscoa, etc.; campanhas do agasalho e até encaminhamento de currículos.

No entanto, nos últimos meses, Célia tem encontrado dificuldades para ajudar as famílias que necessitam de alimento.

“São cinco famílias que temos cadastradas e que precisam muito de ajuda”, comentou. Além dos alimentos, Célia afirmou que essas famílias precisam de leite, pois têm crianças pequenas, fraldas, material de higiene. “A gente corre atrás sempre. É um trabalho de formiguinha, pedindo aqui, ali, até conseguir”, disse em entrevista ao Bragança-Jornal nesta semana, sempre com um sorriso no rosto.

Célia disse que orienta essas famílias também a procurarem ajuda da Assistência Social do município, por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), “mas a fome não tem hora, e muitas vezes as famílias não têm nada para comer há dias”, contou.

Além de alimentos, o projeto recebe roupas e cobertores, que são doados às famílias do Toró e Torozinho.

Para ajudar, basta levar as doações na Rua 4, casa 40, no Conjunto Francisco Sabella, no Toró. Mais informações pelo telefone (11) 97387-0947.