Cotidiano

Expectativa 2019 – Economia

publicado em 28 de dezembro de 2018 - Por Shel Almeida
Para o Economista Cenarista Ricardo Cintra, o impacto que o país tiver na economia será refletido e Bragança. Mas é preciso aproveitar as oportunidades e evitar as ameaças

Cenário Positivo

Expectativas para a economia são boas, mas é preciso boa gestão para que esse cenário se concretize

“Bragança terá o reflexo do que ocorrer do país. Em um sentido geral, as expectativas são boas. Espera-se que haja maior investimento estrangeiro no Brasil a partir do próximo ano”, avalia o Economista Cenarista, Ricardo Cintra, que trabalha com elaboração de cenários econômicos a partir de análise de dados oficiais, como o Boletim Focus, relatório elaborado semanalmente pelo Banco Central. “Esse relatório mostra muito claramente que, em 2019, haverá aumento do investimento direto. No entanto, é preciso entender que, apesar do sinal positivo, isso é um processo. O impacto que ocorrer no Brasil tem um potencial de impacto forte, também em Bragança, É um caminho bom que poderá trazer grande sucesso na gestão econômica da cidade. Mas, quando os cenários se apresentam, é preciso atitude para que sejam bem geridos”, afirma.

Gestão da economia

“A economia oferece oportunidades, mas também ameaças. É qualidade do bom gestor aproveitar as oportunidades e evitar as ameaças e isso depende da competência de cada um. Passado nunca foi garantia de futuro”, explica. Ou seja, não depende apenas da mudança do ano e do governo. É preciso uma boa gestão econômica para que as expectativas, de fato, se cumpram. E paciência, porque nem sempre o que se apresenta para o país, como um todo, reflete imediatamente nos municípios. Como o economista analisa, é um cenário positivo que começa em 2019 mas que, por se tratar de um processo, não necessariamente terá resultados concretos no mesmo ano. “Espera-se que haja crescimento tanto no PIB da indústria quanto no PIB de serviço e que isso seja refletido em Bragança. Isso pode acontecer já em 2019, mas esse reflexo pode vir apenas em 2020 ou 2021”. Além disso, ele explica que não se trabalha com previsão em economia, mas sim com interpretação de dados oficiais, “Não há subjetividade nos levantamentos, apenas na interpretação deles”, diz.