Cotidiano

Estâncias podem receber mais investimentos

publicado em 4 de dezembro de 2020 - Por BJD
Vinicius Lummertz, Carlos Pignatari e Edmir Chedid durante reunião em São Paulo (AEC)

O deputado estadual Edmir Chedid (DEM) sugeriu ao Governo do Estado que estâncias paulistas e os Municípios de Interesse Turístico (MITS) recebam mais investimentos do governo estadual a partir do próximo ano, como vistas à geração de empregos para a comunidade e auxiliar as administrações públicas municipais.

A sugestão foi reiterada nesta semana durante reunião promovida no Palácio dos Bandeirantes – sede do Poder Executivo – com o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM), os secretários de Estado de Turismo, Vinicius Lummertz, e de Projetos, Orçamento e Gestão, Mauro Ricardo Machado Costa, e os deputados Carlos E. Pignatari (PSDB), Fernando Cury (Cidadania) e Itamar Borges (MDB).

Segundo Edmir Chedid, é fundamental que o governo estadual, por meio de suas secretarias e departamentos, incentive e promova o desenvolvimento sustentável das estâncias e dos MITs. “O Circuito das Águas e a Região Bragantina, por exemplo, dependem muito do turismo. Por isso, a participação do governo estadual deve ser maior a fim de garantir os subsídios ao setor nestes municípios”, disse.

O parlamentar explicou que o investimento do governo estadual no turismo será essencial à retomada da economia nas estâncias e nos MITs. “Este investimento não deve se limitar somente ao repasse de recursos para a infraestrutura urbana. É preciso que existam recursos financeiros para a promoção do turismo, como defendem também as associações representativas das estâncias e MITs”, comentou.

Durante a reunião, instituída com o objetivo de tratar sobre os investimentos e as reformulações no Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (DadeTUR) e no Fundo de Melhoria dos Municípios Turísticos (Fumtur), Edmir Chedid relatou a preocupação de gestores municipais com a manutenção e o desenvolvimento do setor no Estado, principalmente ante a pandemia.

Para ele, o aprimoramento e desenvolvimento da gestão do setor devem partir do reposicionamento da Secretaria de Turismo, que, garante, resultará numa organização mais forte e preparada para estruturar e promover o Estado. “O assunto está sendo tratado há anos pelas associações que representam os municípios. Não podemos mais esperar por esta reestruturação definitiva do setor”, afirmou.

Conversas no Facebook