Cotidiano

Dia de Ação de Graças é celebrado em pontos diferentes da cidade

publicado em 29 de novembro de 2019 - Por BJD
Dia de Ação de Graças na Catedral reuniu diversas denominações religiosas (Crédito: Juliana Dorigo)

Na última quinta-feira, 28 de novembro, foi celebrado o Dia de Ação de Graças. Tradicionalmente, membros de diversas denominações religiosas fazem um evento na região central de Bragança Paulista para lembrarem a data.

Neste ano, em sintonia com a celebração ocorrida na Cripta da Igreja Catedral, alunos, professores e funcionários da Escola Estadual Prof. João Ernesto de Almeida Vanni, no Jardim Águas Claras, ao longo de novembro prepararam momentos especiais de gratidão.

“Gratidão”, aliás, foi o tema central da 12ª edição do Dia Nacional de Ação de Graças da Celebração Inter-religiosa realizada na Catedral, que contou com as participações de membros das igrejas católica e evangélicas, Islã, Candomblé, Umbanda, Espiritismo e Budismo. Cada líder religioso expressou a forma como cada religião agradece ao Criador.

Na escola do Jardim Águas Claras, segundo o diretor Antonio Carlos de Almeida informou, no início do mês foi iniciada a construção de uma árvore. Cada aluno, numa pequena folha de papel em formato de folha de árvore, escreveu de próprio punho o que desejava agradecer. “Não obstante dificuldades pessoais, familiares e escolares, praticamente todos encontraram motivos para agradecer.

Movidos pela fé, agradeceram a saúde, a família, o teto, a escola, os colegas, a superação de doenças, a igreja e, principalmente, a oportunidade de estudar, base para um futuro promissor. Visualmente, a árvore ficou muito bonita. Parecia de verdade. Quem parou para ver ou quem leu os motivos de agradecimento, percebeu aquilo que vai no coração e na vida dos alunos. Aqueles que conhecem o dia a dia dos alunos foram tomados por emoção especial”, disse Almeida.

Também preparada por professores e alunos, a celebração propriamente dita foi um momento muito especial do ano letivo: encenaram e cantaram ao som de saxofone, violão e trompete. “O comportamento geral dos alunos foi muito participativo. O trabalho conjunto dos professores tinha como objetivo sensibilizar para valores espirituais. Os alunos ficaram maravilhados com o som dos instrumentos musicais”, finalizou o diretor.