Cotidiano

Definidos os candidatos para as eleições municipais

publicado em 18 de setembro de 2020 - Por BJD

Adalberto Alessandri e Rodrigo Mendes (PSOL); Basílio Zecchini Filho e Américo Massaki (PSD); Jesus Chedid e Amauri Sodré (DEM); e João Afonso Sólis (PTB) e Gustavo Sartori (PSB) formam as chapas majoritárias

Os nomes para a disputa eleitoral do Executivo em Bragança Paulista estão praticamente definidos. Com o término das convenções partidárias na noite da última quarta-feira, 16 de setembro, o município terá quatro chapas majoritárias (por ordem alfabética dos candidatos a prefeito): Adalberto Alessandri e Rodrigo Mendes (PSOL); Basílio Zecchini Filho e Américo Massaki (PSD); Jesus Chedid e Amauri Sodré (DEM); e João Afonso Sólis (PTB) e Gustavo Sartori (PSB).

O Bragança-Jornal acompanhou presencialmente quatro convenções que foram realizadas naquela noite: DEM, Podemos, PSB e PSD.

Ainda teve a convenção do PV, que ocorreu no início da tarde. A ex-vereadora Rita Valle abriu mão de sua pré-candidatura, e o Partido Verde decidiu apoiar o ex-prefeito João Afonso Sólis.

No começo da noite, algumas possibilidades cogitadas durante a semana se confirmaram. Os partidos Podemos, PTC, PROS e DC, que realizavam suas convenções numa casa de quatro cômodos na Rua Cel. João Leme, no Centro, indicavam a possibilidade de se coligarem com Basílio Zecchini Filho. Às 19h20, falava-se no nome de João Carlos Carvalho como vice de Basílio. Mas, a uma quadra dali, num salão da Rua Teófilo Leme, o PSD iniciava a sua convenção e derrubou por terra tal pretensão.

Os convencionais do PSD, uniformizados, confirmavam a chapa Basílio/Américo, e por volta das 19h30 não restou alternativa a João Carlos, a não ser desistir de concorrer a prefeito ou vice e optar pela reeleição a vereador.

Na Morada das Pedras, escritório político do DEM, Jesus e Amauri foram oficializados como candidatos à reeleição (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

Enquanto isso, na Morada das Pedras, a noite parecia ser ‘de gala’. Secretários municipais, vereadores do grupo e, num canto, sentado numa cadeira, o vice-prefeito Amauri Sodré, que aguardava a decisão dos convencionais. As 19h45, Marco Chedid (MDB) era o virtual candidato a vice-prefeito numa chapa liderada por Jesus Chedid. O nome do atual prefeito era certo, faltava apenas a confirmação do vice.

Ao mesmo tempo, ocorria a convenção do PSB, num hotel na zona sul da cidade. A confirmação de Gustavo Sartori como vice de Afonso Solis aconteceu por volta das 20h30. “Pensando na cidade, num projeto maior, de pesquisa, de partidos, a única chapa que vemos condições para enfrentar a atual administração é uma chapa onde esteja o Jango e eu. A Rita Valle abriu mão de sua candidatura para apoiar essa chapa.

Na convenção do PSB, realizada num hotel na zona sul da cidade, Gustavo Sartori foi confirmado como vice de João Afonso Solis (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

Para mim não é uma decisão fácil, não é aquilo que almejei e trabalhei por tantos anos, mas pensando na cidade, pensando num agrupamento maior e sabendo que o Jango já foi prefeito, que já teve dificuldades, inclusive comigo, mas acreditando que as pessoas podem melhorar, que o grupo pode melhorar, peço que cada um que me apoiou, trabalhe da mesma forma”, afirmou Gustavo em seu discurso.

João Afonso Solis também discursou. Disse que não foram fáceis esses últimos anos depois que deixou a Prefeitura. “Ou nós nos uníamos ou íamos embora para casa dormir ou sair para vereador. Foi uma luta árdua, difícil de conciliar. Fiz uma proposta há um ano e meio ao Gustavo para sairmos juntos. Vamos fazer pesquisa, se você estiver melhor será o candidato e eu te apoio e vou para vereador; em 2024 eu abriria mão da reeleição. Isso foi acordado”, disse Jango, que ainda comentou o apoio do ex-prefeito José de Lima para a chapa. A coligação “Bragança vai voltar melhor” é formada por sete partidos: PTB, PSB, PP, PV, PSL, PDT e Cidadania.

Praticamente no mesmo horário, João Carlos e Basílio discursavam na convenção dos partidos Podemos, PTC, PROS e DC, e formalizavam a união. “Conversamos muito. Tinha a possibilidade do Basílio ser meu vice ou eu ser o vice dele, mas o melhor foi feito para nós e para vocês. Tenho certeza que podemos ser protagonistas nesta coligação, do que ser mais um em outra. Queremos, Basílio, que você seja o nosso prefeito”, disse João Carlos.

Na sequência, Basílio discursou: “Com certeza estamos construindo um projeto. Nós fazemos política com vontade, porque acreditamos. Sabemos que não é um processo fácil, que tem que ser construído com diálogo, sabedoria e experiência. Nós estamos no dia a dia da cidade, andando nos bairros, visitando os lugares. Nós vivemos Bragança”, disse Basílio.

Convenção do PSD, que ocorreu num salão na Teófilo Leme, confirmou as candidaturas de Basílio e Américo (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

logo após o discurso, o prefeito de Atibaia, Saulo Pedroso, coordenador regional do PSD, chegou à convenção e manifestou seu apoio à candidatura de Basílio.

A coligação “Mudança Boa” terá o apoio de sete partidos: PSD, PTC, AVANTE, PROS, PRTB, DC e Podemos. Mais tarde, já no final da noite, na convenção do PSD, Basílio voltou a falar que “na política, precisa de competência”. “Foi assim para montar o PSD, para unir os filiados e montar essa coligação”, afirmou.

Por volta das 21h00, na Morada das Pedras, iniciavam os discursos para o anúncio da candidatura do Democratas. Marco Chedid disse que “a administração do Jesus tem a aprovação de 82% da população”. Falou também de sua missão à frente do Bragantino. “Todos sabem o desejo do meu pai [Nabi Chedid] em relação ao Bragantino, que era manter o time vivo.

O Bragantino faz parte da vida da cidade. Nós conseguimos trazer uma das maiores empresas mundiais para Bragança. Não deixei o Bragantino”, afirmou. Marco leu um artigo do contrato com a Red Bull que diz que ele é presidente vitalício do clube e, em caso de ser eleito para qualquer cargo público, ficará suspenso de suas atividades até o término do mandato. “A minha missão no Bragantino ainda não acabou. Eu vou ficar no Bragantino. Vamos apoiar o Amauri como vice-prefeito”, disse Marco, revelando qual seria a chapa do DEM para disputa das eleições.

Na sequência, o presidente do DEM, Edmir Chedid, oficializou a chapa Jesus e Amauri para concorrer à reeleição pelo partido. “Hoje, os candidatos da oposição, que tiveram oportunidade e não fizeram, devem estar preocupados conosco. A família está toda unida para apoiar Jesus Chedid nessa campanha.

Vamos levar para a população de Bragança o que será o nosso projeto político para o futuro. Nossa campanha será não somente de prestação de contas, que é muito importante para comprovar o trabalho desenvolvido, mas também de propostas inéditas para o nosso município”, disse Edmir.

Amauri Sodré agradeceu aos presentes, em especial aos membros da família Chedid. “Pela quarta vez eu sou candidato a vice-prefeito. Fico grato por vocês confiarem em mim”, disse.

Por fim, o candidato do DEM, o atual prefeito, Jesus Chedid disse ser “uma noite de festa e de união”. “Estamos unidos por Bragança, o trabalho de reconstrução do município não pode parar. Por isso, nos lançamos novamente ao desafio para garantir a continuidade dos programas e projetos realizados à população”. Jesus afirmou também que pretende ampliar as atividades que considera fundamentais, como as de educação, geração de emprego e renda e de saúde pública. “Nunca se investiu tanto nestas áreas aqui no município.

Para se ter uma ideia, somos considerados referência regional pela qualidade dos serviços prestados, o que me deixa bastante satisfeito”, complementou. “Bragança hoje tem respeito. Você, Marquinho, reivindicou um direito, com merecimento, mas chegou a conclusão que era mais uma vez a hora do Amauri. Vocês têm idade, junto com o Vitor Hugo, de fazer política por muitos e muitos anos”, finalizou.

Assim, a última noite de convenções foi encerrada. O DEM terá apoio de seis partidos: PSDB, PL, PSL, MDB, Republicanos e Patriotas.

Agora os partidos têm prazo até o dia 26 de setembro para o registro das candidaturas na Justiça Eleitoral.
PSOL

Conforme publicado pelo Bragança-Jornal na edição da última terça-feira, 15, o PSOL realizou sua convenção no sábado, dia 12, e oficializou as candidaturas de Adalberto Alessandri e Rodrigo Mendes aos cargos de prefeito e vice, e lançou uma novidade para o cargo de vereador, a chapa coletiva. A convenção ocorreu de forma virtual.

Segundo Tales Machado, secretário geral do PSOL de Bragança Paulista, a convenção contou com a participação de representantes estaduais e regionais da legenda. “Foram apresentados os nomes do professor Adalberto para prefeito e do professor Rodrigo para vice, além da candidatura da chapa coletiva para vereador”, explicou.

Adalberto Alessandri e Rodrigo Mendes serão os candidatodo PSOL (Divulgação)

A chapa coletiva é formada por três mulheres, no entanto, apenas uma terá o nome e foto na urna. “A chapa coletiva será a única do PSOL, mas é além do partido. As candidatas são ativistas de um movimento apartidário, e o PSOL está ajudando a construir essa chapa coletiva na cidade”, informou Tales.

Conversas no Facebook