Cotidiano

Conselho de Ética analisará “caso da calcinha”; vereador pode ser cassado

publicado em 30 de junho de 2020 - Por BJD

Os vereadores aprovaram, por unanimidade, na noite desta terça-feira, 30 de junho, o envio para análise da Comissão de Ética da Câmara Municipal a possível quebra de decoro parlamentar do vereador Benedito Franco Bueno (PSC), conhecido como vereador Ditinho Bueno do Asilo, pelo “episódio da calcinha”, que teve repercussão internacional.

Por 14 votos a 4, foram rejeitados os pedidos para instalação de Comissão Processante para o pedido de cassação do vereador.

Três requerimentos foram protocolados para o encaminhado ao Conselho de Ética: um do Conselho Municipal dos Direitos de Defesa da Mulher, um dos Promotores Legais Populares de Bragança Paulista e outro oficio feito por diversos partidos políticos.

Vários vereadores se posicionaram sobre a questão e a decisão de mandar para o Conselho de Ética foi unânime.

Na semana passada, durante a sessão ordinária, o vereador Ditinho foi flagrado observando e cheirando uma calcinha.

O Conselho de Ética é formado pelos vereadores Fabiana Alessandri, Rita Leme, Natanael Ananias, Sidiney Guedes e Sebastião Garcia do Amaral.

Segundo o inciso III, do artigo 23 do Regimento Interno da Câmara Municipal, diz que pode ser cassado o mandato do vereador que “proceder de modo incompatível com a dignidade da Câmara ou faltar com o decoro na sua conduta pública”.

O Conselho de Ética pode advertir, censurar, suspender ou até mesmo cassar o mandato do vereador.

Conversas no Facebook