Cotidiano

CONDEPHAC afirma que em 2015 não houve interesse no tombamento do prédio da antiga Cia. Têxtil Santa Basilissa

publicado em 19 de fevereiro de 2021 - Por BJD
Preocupação com a demolição foi levantada por vereador durante sessão ordinária da Câmara Municipal (Arquivo Bragança-Jornal)

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal na última terça-feira, 17 de fevereiro, o vereador Miguel Lopes demonstrou preocupação em relação à demolição do prédio que abrigou a antiga Cia. Têxtil Santa Basilissa.

O parlamentar questionou como foi autorizada a demolição e solicitou ao CONDEPHAC (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Bragança Paulista) cópia do documento que permitiu os trabalhos.
“Quero entender como foi liberada essa demolição. Tenho sido questionado se não houve interesse no tombamento da fachada do prédio, se foi feita votação, como se deu o processo. Deve ter uma ata. Gostaria de solicitar ao Condephac essa cópia”, disse.

O Bragança-Jornal entrou em contato com o atual presidente do CONDEPHAC, Jocimar Bueno do Prado, que esclareceu que, em 2015, antes de arrematar o imóvel da Santa Basilissa, o atual proprietário consultou o Conselho se havia interesse de tombamento. “O CONDEPHAC à época disse que não”, afirmou Jocimar.

Ainda segundo o presidente, diante do pedido de demolição, em razão de uma decisão anterior e em respeito às decisões do Colegiado, ela foi autorizada. “Não havia sentido dizer que não havia interesse de tombamento em 2015 e proibir a demolição em 2020”, justificou Jocimar Bueno do Prado.

Conversas no Facebook