Cotidiano

Cirurgias eletivas serão retomadas após normalização de medicamento em escassez, afirma HUSF

publicado em 16 de junho de 2020 - Por BJD
Arquivo: Bragança Jornal

O Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus (HUSF) anunciou na segunda-feira, 15 de junho, o cancelamento de cirurgias eletivas – que não são urgentes – em função da falta de fornecimento de alguns medicamentos, no caso, o bloqueador neuromuscular, usado tanto em anestesias como em pacientes em tratamento de Covid-19 internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Em entrevista ao Bragança-Jornal, o diretor técnico do hospital e médico cirurgião pediátrico, Dr. Pedro Izzo, afirmou as cirurgias serão retomadas “tão logo haja a normalização do fornecimento do medicamento” que está em escassez no mercado brasileiro. “É preciso deixar claro: a falta de fornecimento de alguns medicamentos é por parte dos distribuidores”, acrescentou o médico.

De acordo com o diretor não há previsão de normalização. “Estamos em frequente contato com os fornecedores para a resolução do problema”, afirmou.

Sobre os infectados com Covid, ele explicou que “alguns pacientes necessitam de relaxamento muscular para que possam receber ventilação pulmonar de maneira adequada. Diante da falta de tal fármaco, a instituição tem aplicado medidas para a redução do uso dos mesmos. Espero que tudo corra bem e que possamos resolver mais essa dificuldade com rapidez, rumo à normalidade”, salientou.

O HUSF tem 10 leitos de UTI exclusivos para atendimento de Covid-19. Nesta terça-feira, 16, a taxa de ocupação dos leitos era de 70%, ou seja, 7 pacientes internados. O HUSF atende Bragança Paulista e cidades da região.

“A situação é preocupante, porém, com o contingenciamento que estamos realizando, esperamos poder continuar atendendo ao mesmo número de atendimentos sem prejuízo ao paciente de Covid até que consigamos o retorno do fornecimento normal por parte dos distribuidores”, finalizou o diretor Pedro Izzo.