Cotidiano

Câmara: Oposição apresenta problemas e Situação evidencia obras

publicado em 12 de fevereiro de 2020 - Por BJD
Cinco das seis moções foram aprovadas durante a 2ª sessão ordinária (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

A 2ª sessão ordinária de 2020 da Câmara Municipal, realizada na tarde e noite de terça-feira, 11 de fevereiro, foi mais uma vez marcada pelos debates entre os vereadores de oposição e situação, como tem acontecido de forma recorrente.

Enquanto a oposição apresenta problemas, a situação evidencia as obras que estão sendo executadas pela Prefeitura. Entre as reclamações e alertas está a obra do Lago do Taboão. Segundo o vereador João Carlos Carvalho (PSDB), foram abertas bocas de lobo e “fizeram uma gambiarra, um furinho para escoar a água”, disse.

Ao Bragança-Jornal, o secretário de Obras, André Monteiro, afirmou que já solicitou para que a empresa responsável pelo acompanhamento do trabalho vistoriasse as bocas de lobo e se houvesse qualquer irregularidade, a empresa responsável pela obra seria notificada.

Na sequência, o vereador Marco Antonio Marcolino (PSDB) citou a obra de recapeamento da Avenida Alziro de Oliveira. Ele alertou que com o novo piso, os motoristas excedem na velocidade. “É necessário que a Secretaria de Mobilidade implante dispositivos e sinalização para conter os excessos de velocidade”, disse. Marcolino ainda citou que na próxima quinta-feira, 13, às 19h00, na Câmara, haverá a última reunião do Instituto Educar Brasil, que oferece bolsas de estudos de 30% a 50% para cursos técnicos.

Já o vereador Marcus Valle (PV) novamente citou problemas como o trânsito no cruzamento da Alameda XV de Dezembro com a Rinzo Aoki, no Tanque do Moinho. O vereador citou a questão do ribeirão (conforme mencionado na matéria de capa) e ainda falou sobre a necessidade de verificar a comporta do Lago do Taboão. “Não há riscos de rompimento, mas precisa de manutenção”, afirmou. Marcus ainda citou os problemas com moradores de rua na região do Lavapés e sobre a circulação de caminhões. “A solução é a perimetral, mas enquanto não sai, temos que tomar uma atitude”, afirmou.

Moufid Doher (Podemos) mostrou vídeo de campanha eleitoral do prefeito Jesus Chedid citando as enchentes e a entrega de moradias. Por fim, falou sobre a licitação do transporte público.

Natanael Ananias (PSC) comentou sobre os problemas no Bairro Araras dos Cardoso; disse que fará um encaminhamento ao deputado Edmir Chedid para que o Governo do Estado negocie alternativa no estacionamento na área do shopping para quem utiliza os serviços do Poupatempo. Por fim, pediu que a empresa de ônibus Nossa Senhora de Fátima disponibilize mais um horário de circular para depois das 23h00 para os moradores da região do Iguatemi e Vale Encantado. Segundo ele, o último horário é às 22h20 e prejudica estudantes que saem das aulas após esse horário.

Luís Henrique Duarte (PV) classificou como “precária” a obra do prédio do Espaço Comunitário e Aprendizagem (Ecoa), no Tanque do Moinho. Recentemente houve um destelhamento da cobertura após uma forte chuva. Segundo o vereador, estão fazendo “gambiarra”. “Colocaram um ferro na parede que já está com rachaduras”.

A vereadora Rita Leme (DEM) apresentou vídeo sobre o trabalho executado por profissionais do Núcleo de Assistência à Saúde da Família (NASF) que foi realizado na última semana na Escola Municipal Leila Montanari Ramos, no Padre Aldo Bolini.

O vereador Basílio Zecchini (PSB) retomou um assunto tratado por Marcus Valle na semana passada, sobre a contratação de diretores comissionados. Segundo a denúncia, “nenhum dos aprovados em concurso foi chamado, sendo mantidos os funcionários em comissão para exercer a função que deveria ter sido preenchida pelos concursados”, afirmou o vereador, que disse ter enviado cópia da denúncia ao Ministério Público.

A presidente da Câmara, Beth Chedid (DEM), aproveitou o espaço para falar sobre as assinaturas de ordens de serviço pelo prefeito Jesus Chedid na última semana, que somam mais de R$ 16 milhões. “Enquanto os cães ladram, a caravana passa”, usou essa metáfora para falar da oposição.

O vereador Claudio Moreno (DEM) fez um voto de congratulações à Associação Raios de Sol e Acohab, que entregaram nesta quarta-feira, 168 apartamentos (veja matéria na capa). Citou também que a Acohab fez um cadastramento e mais de 4 mil pessoas apareceram. “Desde 2017 tenho sugerido ao prefeito Jesus a nomeação de um secretário de Habitação e peço ao prefeito que abra o processo para atualização dos cadastros habitacionais”, afirmou.

O vereador ainda discorreu sobre a base avançada do Samu no Taboão e a implantação da ‘Motolância’ no município. “Tenho todo o projeto e vou trabalhar junto à secretária de Saúde e ao prefeito para implantar”. Claudio voltou a criticar vereadores que defendem empresas e empresários, referindo-se diretamente aos vereadores que entraram com ação sobre a licitação do transporte público.

O vereador Benedito Franco Bueno (PSC) comentou sobre as obras na Praça dos Trabalhadores, habitação, mobilidade urbana e pediu que Prefeitura revitalizasse o entorno da Rua Américo Fontana, no Jardim Recreio. “Que a prefeitura possa fazer um novo projeto arquitetônico, com lazer e mobilidade”, disse.

Por fim, o vereador Paulo Mário Arruda de Vasconcellos (PL) respondeu alguns questionamentos. Sobre o Lago do Taboão, citado por Marcus, falou que a comporta está em ordem, mas que será realizado um trabalho para baixar o muro até o vertedouro, seguindo as orientações do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

Sobre a obra do Ecoa, Paulo agradeceu as cobranças e disse que o prédio ainda não está terminado e entregue. “Passado à Prefeitura, ainda há um prazo de 5 anos de garantia”, finalizou.

MATÉRIAS

Na Ordem do Dia, seis moções constavam em pauta. Cinco delas tiveram aprovação unânime e uma teve votação adiada.

Claudio Moreno foi o autor da moção 108/19, que apoia o projeto de lei 302/19, do deputado estadual Arthur do Val. A proposta do deputado visa a isenção da cobrança do IPVA e ICMS para os veículos novos que atuam no transporte privado por meio de aplicativos.

Na sequência foram votadas as moções que seguem para análise da Administração. Na moção 107/19, João Carlos Carvalho solicita ao Executivo a construção de escolas de Ensino Fundamental II e de Ensino Médio na região dos bairros Green Park, Vale Encantado, Iguatemi, Vista Alegre, Quinta dos Vinhedos, Piemonte e Vino Barolo.
Basilio Zecchini Filho propôs a moção 114/19, que requer a reforma da Unidade do Corpo de Bombeiros Militar de Bragança Paulista, bem como a aquisição de novos veículos e equipamentos para atender a corporação.

A implantação de academia ao ar livre no Parque Natural Refúgio das Aves, no Jardim América, foi outra reivindicação. A matéria foi apresentada pelos vereadores Marco Antonio Marcolino, Claudio Duarte e Beth Chedid, na moção 117/19.

Por fim, Mario B. Silva propôs, na moção 119/19, a revitalização da Unidade da Estratégia de Saúde da Família Dra. Fátima Maria Freire, no Parque dos Estados. Constava ainda na Ordem do Dia a moção 118/19, do vereador Antonio Nunes. A proposta teve votação adiada, pois o vereador não compareceu à sessão por motivos de saúde.