Cotidiano

Aprovado Estatuto do Museu Municipal Oswaldo Russomano

publicado em 6 de fevereiro de 2021 - Por BJD
Norma garante a elaboração de um plano museológico para facilitar a gestão e criar atividades (Secom)

Com o intuito de valorizar e preservar o patrimônio cultural, a universalidade do acesso e o intercâmbio institucional com ênfase na preservação material e imaterial da história local, a Prefeitura publicou em 29 de janeiro, na Imprensa Oficial nº 995, o Decreto nº 3.473 que aprova o Estatuto do Museu Municipal de Bragança Paulista.

A aprovação do estatuto é fundamental para que a administração consiga elaborar o plano museológico da instituição, ferramenta de gestão estratégica que define uma série de conceitos e objetivos do espaço, bem como alinhar ações, programas, projetos, objetivos, entre outros.

“Nossos equipamentos culturais foram cuidados e agora estão sendo preparados para garantir aos visitantes a melhor experiência possível. Não paramos de incentivar, acrescentar conhecimento, ampliar o acesso às manifestações culturais e ao patrimônio histórico e a viabilizar inúmeras melhorias nos equipamentos culturais municipais”, disse a secretária de Cultura e Turismo, Vanessa Nogueira.

O Museu Municipal de Bragança Paulista, criado pela Lei nº 166 de outubro de 1953 e regulamentado pelo Decreto nº. 1836 de 09 de setembro de 1966, é regido em conformidade com a Legislação Brasileira de Museus e com o Código de Ética do Conselho Internacional de Museus.

Em razão da pandemia da Covid-19, as visitas estão sendo realizadas exclusivamente por meio de agendamento prévio pelo telefone (11) 4033-7566, das 09h às 17h.

SOBRE O MUSEU

Inaugurado em 15 de dezembro de 1966, o Museu Municipal Oswaldo Russomano retrata a história local e a evolução cultural e tecnológica da cidade e do país por meio dos mais de 3 mil itens que compõem seu acervo.
Há peças do período cafeeiro, ocupação indígena do Guaripocaba, período imperial, escravidão, Segunda Guerra Mundial, Revolução Constitucionalista de 32, artefatos arqueológicos, louças, móveis da antiga Câmara Municipal, objetos da extinta Estrada de Ferro Bragantina, arte-sacra, máquinas fotográficas, entre outros.

Conversas no Facebook