Coronavírus

SUS tem 221 leitos no município; 29 são de UTI, que atendem Bragança e região

publicado em 20 de março de 2020 - Por BJD
Marina Fátima de Oliveira concedeu entrevista exclusiva ao Bragança-Jornal na última quinta-feira, 19 (Gerson Gomes/Bragança-Jornal)

Uma das preocupações relacionadas ao Coronavírus é a dos pacientes que contraírem a doença e se enquadrarem em casos graves. Segundo informe da Sociedade Brasileira de Infectologia (SIB), a estimativa é de que, a cada 100 pessoas infectadas pelo Covid-19, cinco precisem de internação em tratamento intensivo.

Em entrevista exclusiva ao Bragança-Jornal na tarde de quinta-feira, 19 de março, a secretária municipal de Saúde, Marina Fátima de Oliveira, afirmou que o município tem 221 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS). “Dentro do Hospital Universitário São Francisco temos 7 leitos de isolamento. Lembramos que o HUSF atende a Região Bragantina.

Mas, o Hospital Universitário já comunicou o cancelamento das cirurgias eletivas, e isso nos dá uma tranquilidade aos atendimentos dos casos de Síndrome Aguda Respiratória Grave, que pode ter entre elas, o Coronavírus”, explicou Marina.

Dos 221 leitos, 29 são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 19 para adultos. “Temos pré-acordado com o Hospital Bragantino o uso de 10 leitos UTI. É uma unidade privada, mas se houver necessidade, usaremos”, afirmou a secretaria.

Na quinta-feira, 19, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, respondeu a um questionamento da reportagem do Bragança-Jornal, em pergunta enviada via aplicativo whatsaap.

A pergunta direcionada ao Governo do Estado foi: “No interior não há muitos leitos de UTI. Qual será a estratégia do Governo do Estado quando as UTI de hospitais do interior estiverem lotadas?”. O secretário respondeu que o Governo “está dentro de um processo inicial, com o pensamento de centralização dos casos mais graves, principalmente pela ocorrência que é muito maior na cidade de São Paulo”. “Então, é aqui que estamos colocando nossos reforços e todos os recursos no enfrentamento do vírus”, afirmou Germann.

UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

Nesta semana, o presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasens), Wilames Freire Bezerra, disse em entrevista ao programa Central GloboNews, que a Atenção Básica no Brasil está preparada para enfrentar a pandemia.

Na última quarta-feira, 18 de março, a Secretaria de Saúde de Bragança Paulista montou um Plano de Contingência da Atenção Primária no município, colocando as 29 Unidades Básicas de Saúde (UBS) como porta de entrada para o atendimento a pacientes com sintomas respiratórios.

Foram canceladas as consultas agendadas de rotina, mantendo-se apenas as consultas de elucidação diagnóstica, pré-natal e por solicitação médica; desmarcadas as coletas para exames laboratoriais agendados que sejam de rotina; cancelamento de consultas de saúde bucal, somente atendimento de urgências, etc.

“Toda a equipe está preparada e capacitada para o atendimento do paciente com síndrome respiratória. Estamos usando o protocolo do Ministério da Saúde. Nós dividimos esses pacientes em três grupos: aqueles que têm sintoma de gripe leve, recomendamos que fiquem em casa; se não passar e tiver febre, deve ir à Unidade Básica de Saúde. Agora, aqueles que apresentam falta de ar, pedimos para ir ao Pronto Atendimento (Vila David, Bom Jesus ou Santa Casa), para que sejam investigadas de outra forma”, afirmou Marina.

Em comunicado feito pela rede social da Prefeitura na manhã dessa sexta-feira, 20 de março, Marina afirmou que todas as consultas do Ambulatório Médico de Especialidades foram canceladas e os profissionais serão realocados para a rede.