Coronavírus

Secretária de Saúde repudia carreata

publicado em 27 de março de 2020 - Por BJD
Carreata em Bragança Paulista. Manifestantes percorreram diversas ruas da cidade

Um grupo de manifestantes organizou na manhã desta sexta-feira, 27 de março, uma carreata para pedir ao prefeito Jesus Chedid que liberasse a abertura do comércio em Bragança Paulista.

Em sua live diária, a secretária de Saúde Marina Fátima de Oliveira repudiou o ato, e a Prefeitura registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

Os manifestantes marcaram o movimento pelas redes sociais. Por volta das 8h00, eles se concentraram nas proximidades da Concha Acústica e seguiram pelas avenidas dos Imigrantes e Antônio Pires Pimentel, até a Prefeitura.

Na semana passada, a Prefeitura editou o Decreto 3.222, que declarou Situação de Emergência em Saúde Pública no Município de Bragança Paulista e proibiu a abertura de estabelecimentos comerciais não essenciais, seguindo, inclusive, recomendação do Ministério Público. Dias depois, o Governo do Estado promulgou o Decreto Estadual 64.881/2020, na mesma linha de proibições adotada pela Prefeitura de Bragança.

“Hoje aconteceu uma coisa horrível, que a gente abomina muito. Um cidadão programou uma carreata. Vejam bem: nós estamos com medidas muito difíceis, mas uma carreata pedindo a abertura de comércio nós não podemos aceitar.

Manifeste a sua opinião, mas não promova nenhum tipo de carreata. Não coloque em risco a vida de outras pessoas, não nos afronte, principalmente nós profissionais de saúde, que estamos aqui para salvar vidas. Abomino quem está junto com essas pessoas que fizeram a carreata. Sabemos que tem parlamentar que acompanhou. Para todos esses, lamentamos muitos”, disparou Marina.

Em pronunciamento enviado à imprensa, o prefeito Jesus Chedid pediu para que todos acompanhem as medidas. “Devemos evitar aglomeração, evitar contrariedade às recomendações dos técnicos, especialistas e cientistas”, disse o prefeito.

O delegado Sandro Montanari Ramos Vasconcellos, titular da Central de Polícia Judiciária, confirmou ao Bragança-Jornal que a Prefeitura registrou Boletim de Ocorrência. “Entendemos que há descordo aos decretos vigentes, infringindo o artigo 268 do Código Penal”, afirmou o delegado. O referido artigo diz: “Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa: Pena – detenção, de um mês a um ano, e multa”.

SP PODE AMPLIAR RESTRIÇÕES

Em 24 horas, o número de pacientes internados em estado grave com Covid-19 no Estado de São Paulo cresceu 42%. Diante desse quadro, o governo paulista cogita até o fechamento total do Estado no futuro, caso o sistema de saúde se aproxime do colapso.

DADOS DE COVID-19 EM BRAGANÇA PAULISTA

Até o fechamento desta edição, a Secretaria Municipal de Saúde contabilizava 51 notificações de coronavírus, sendo 8 casos descartados, 4 confirmados e 39 sob investigação. Dos casos que ainda aguardam exames (39), quatro são de pacientes que foram a óbito.