Coronavírus

Prefeitura começa instalação de 30 leitos em hospital de campanha

publicado em 9 de abril de 2020 - Por BJD
Área da Santa Casa, onde funcionava antiga hemodiálise, receberá pacientes com Covid-19 (SECOM/Reprodução)

O prefeito Jesus Chedid confirmou nesta semana, o início da instalação de um hospital de campanha com 30 leitos em uma área na Santa Casa de Misericórdia, onde funcionava a antiga hemodiálise.

“Estamos instalando um hospital de campanha para o combate ao coronavírus. Esse hospital será localizado no Complexo da Santa Casa. Serão 30 novos leitos para atender as pessoas infectadas pelo coronavírus. Destes 30 leitos, 10 são UTI”, afirmou o prefeito Jesus em pronunciamento ao vivo na manhã de segunda-feira, 6, na página do Facebook da Prefeitura.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Marina Fátima de Oliveira, o hospital de campanha deve ficar pronto no dia 20 de abril.

Segundo Francisco Carlos dos Santos, diretor executivo da Santa Casa, o hospital tem atualmente 10 leitos de UTI e a partir do dia 20 será inaugurado o novo setor de UTI, também com 10 leitos. Segundo Francisco, a antiga UTI seria desativada, mas poderá ficar em funcionamento desde que haja apoio do Poder Público ou da sociedade civil.

A Santa Casa está com aproximadamente 60% de seus atendimentos relacionados ao Coronavírus. “Serão cerca de 30 profissionais no hospital de campanha, com custo operacional de R$ 130 mil mensais, sem contar as despesas que teremos”, afirmou Francisco.

50 NOVOS LEITOS

O prefeito comentou também que está em conversas com o Governo do Estado, através do deputado Edmir Chedid, para a contratação de 10 novos leitos de UTI e 40 de enfermaria do Hospital Bragantino. “Tudo o que puder ser feito será. Vamos estar unidos nesta hora difícil. Espero que a população entenda e faça o possível para fazer o isolamento, conforme recomenda a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde”, afirmou Jesus.

Segundo o deputado Edmir Chedid, a medida já foi determinada pela Divisão Regional de Saúde (DRS-VII – Campinas), responsável pelo Circuito das Águas e pela Região Bragantina. “Assim, caberá à DRS-VII negociar os valores com as instituições”, afirmou o parlamentar