Coronavírus

Pesquisa divulga resultados de Prevalência de Covid-19 em Bragança Paulista

publicado em 11 de janeiro de 2021 - Por BJD
Os dados coletados ajudaram a gestão da Secretaria Municipal de Saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19 (Pixabay)

Foram divulgados os dados do estudo de prevalência de anticorpos para Sars-Cov-2, o vírus responsável pela Covid-19, pelos pesquisadores Dra. Renata Cristófani Martins, a especialista Lisamara Dias de Oliveira Negrini e Ms. Gualter Santana Pedrini, em parceria da Universidade São Francisco com a Prefeitura de Bragança Paulista, sobre a distribuição de casos positivos por unidades de saúde, cor, sexo, escolaridade, ocupação, comorbidades, sintomas, entre outros.

A pesquisa foi produzida em quatro etapas, através de testagem rápida durante os meses de junho, julho, agosto e setembro. A escolha dos participantes foi feita de forma aleatória, por meio de sorteio de setores censitários e domiciliares, em que consistia realizar testagem rápida e assim verificar a presença ou não de anticorpos.

Na etapa 01 foram testadas e avaliadas 534 pessoas, dessas 29 (5,4%) foram positivas. Na etapa 02 foram testadas 502 pessoas, dessas 58 (11,6%) foram positivas. Na etapa 03 foram testadas 437 pessoas, dessas 44 (10,0%) foram positivas. Na etapa 04 foram testadas 332 pessoas, dessas 33 (9,9%) eram positivas.

As unidades de saúde que mais apresentaram porcentagem de casos positivos foram: ESF Parque dos Estados II (17,9%), ESF Planejada I (15,7%) e Centro de Saúde (14,5%). Entre os casos positivos, 67,1% disseram ser de cor branca, 24,4% de cor parda e 11,5% de cor preta. Já os casos positivos por nível de escolaridade, 16,5% possuem ensino médio completo/incompleto/pós, 45,1% informaram ter o ensino médio completo/incompleto, 34,8% relataram ter o ensino fundamental completo/incompleto e 3,6% com ensino infantil ou analfabeto.

A grande maioria dos entrevistados saía de casa com frequência, sendo que 31% saíam diariamente, 10% cinco vezes na semana, 14,5% de três a quatro vezes na semana, 24,1% de uma a duas vezes na semana e 20,4% saiam menos de uma vez na semana.

Em relação a doenças de base, dos 164 entrevistados que tiveram resultado positivo, 122 referiram ter alguma comorbidade e 42 declararam não ter doença. As comorbidades mais frequentes foram hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e câncer. Questionados sobre os principais sintomas, os mais mencionados foram: dor de cabeça, dor muscular e secreção nasal.

A pesquisa mostra que no período de junho a setembro de 2020, 9,1% da população de Bragança Paulista apresentava anticorpos, ou seja, teve contato com a Covid-19.

Conversas no Facebook