Coronavírus

Município prepara hospital de campanha

publicado em 3 de abril de 2020 - Por BJD
Secretária municipal de Saúde, Marina Fátima de Oliveira, durante as lives diárias

Durante todos os dias da semana, a secretária municipal de Saúde Marina Fátima de Oliveira realiza lives (pronunciamentos e entrevistas ao vivo) na página do Facebook da Prefeitura.

O Bragança-Jornal tem recebido perguntas de leitores e uma delas foi da professora Marceline de Lima, que foi encaminhada à secretária. A pergunta era se o município tinha um Plano de Contingenciamento para enfrentar a pandemia causada pelo coronavírus e também se terá um hospital de campanha para atendimento da população.

A resposta da secretária Marina foi afirmativa: “Estamos comprando equipamentos e nos preparando, assim com fez São Paulo e outras cidades do Brasil, para uma crise que pode acontecer neste e nos próximos meses”.

Quanto ao Plano de Contingenciamento, a secretária Marina afirmou o município preparou o Plano de Contingenciamento: “Fizemos para entender o que temos na cidade em termos de equipe, equipamentos e tudo o que é necessário para o enfrentamento da crise. Foi um Plano desenvolvido a várias mãos.

Nós enviamos para a Secretaria Estadual de Saúde, dimensionando o que temos de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria, bem como a quantidade de leitos que precisamos”.

A secretária afirmou que nesse Plano de Contingenciamento foi solicitada ao Estado a ampliação do número de leitos. “Queremos que o Estado amplie os leitos de UTI e Enfermaria do Hospital Bragantino. Colocamos no Plano a necessidade do Estado credenciar essa unidade hospitalar para o uso tanto dos pacientes de Bragança Paulista, quanto da região”, completou.

“Ao mesmo tempo, nesse Plano temos a visão do que precisávamos dentro do nosso município, para ampliar o atendimento de pacientes com síndrome gripal. Por isso abrimos a Atenção Básica. Além disso, foi definido no Plano que as Unidades de Atendimento da Vila David e Bom Jesus tenham duas portas de entrada, uma para pacientes com queixas normais e outra apenas para síndromes gripais”, finalizou.