Coronavírus

Município chega a 39 mortes por Covid-19

publicado em 12 de agosto de 2020 - Por BJD

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou nesta quarta-feira, 12 de agosto, o 39º óbito em decorrência do novo Coronavírus em Bragança Paulista, o de uma mulher de 79 anos, que estava internada em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O óbito ocorreu na terça-feira, 11.

Somente neste mês de agosto, foram 7 mortes por Covid-19. Em julho, foram 15 óbitos. Segundo os boletins epidemiológicos divulgados na terça-feira, 11, e nesta quarta-feira, 12, o número de novos casos confirmados foi de 109. No total, Bragança Paulista contabiliza 2.267 casos confirmados desde março; desses, 1.479 se recuperaram e 39 foram a óbito.

O percentual de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos três hospitais locais (Santa Casa, Hospital Universitário São Francisco e Hospital Bragantino), nesta quarta-feira, 12 de agosto, estava em 69,7%; e de enfermaria em 60,0%. Ou seja, dos 33 leitos de UTI, 23 estavam ocupados; e dos 30 leitos de enfermaria, 18 estavam ocupados. Esses leitos atendem a toda a Região Bragantina. Apenas de Bragança Paulista há 24 pessoas internadas, entre UTI e enfermaria, sendo 10 confirmados e 14 suspeitos.

Os bairros da zona norte concentram os maiores números de casos: Planejada II com 128 casos; Águas Claras com 124; e Planejada I 86 casos. Na sequência vem a Vila Aparecida, com 78 casos; Parque dos Estados, com 75; e Hípica Jaguary, com 74. A Planejada II contabiliza o maior número de óbitos, 4 no total.

ATIBAIA CHEGA A 39 ÓBITOS

A Prefeitura de Atibaia divulgou no final da tarde da última segunda-feira, 10, mais três óbitos decorrentes de coronavírus: o 37º óbito confirmado é de um homem de 88 anos; o 38º de um homem de 80 anos; e o 39º de uma mulher de 79 anos. Atibaia ainda possui quatro óbitos suspeitos.

VACINAS

O Instituto Butantan receberá 15 milhões de doses da vacina chinesa, a CoronaVac, até o final deste ano. De acordo com Dimas Covas, diretor do Instituto, o material de imunização contra o novo coronavírus está sendo produzido na China e será enviado de forma fracionada a partir de outubro.

A Rússia foi o primeiro país do mundo a registrar uma vacina contra o novo coronavírus. Apesar do anúncio, que ocorreu na terça-feira, 11, sabe-se pouco sobre a eficácia dessa vacina, que é questionada por especialistas internacionais.

Conversas no Facebook