Coronavírus

Mais de 20 bragantinos com Covid-19 estão internados em outras cidades

publicado em 5 de março de 2021 - Por BJD

Os casos de Covid-19 têm se alastrado cada vez mais no município de Bragança Paulista. A cada novo boletim são registrados centenas de novos casos suspeitos e confirmados, e um aumento expressivo de óbitos em decorrência do vírus.

A necessidade de leitos aumentou consideravelmente e, atualmente, a cidade tem que administrar uma fila de espera para conseguir vagas para pacientes, alguns em situação grave.

De quarta, 3, a sexta-feira, 5 de março, o município confirmou mais nove óbitos de bragantinos em decorrência da Covid-19 – cinco pacientes do sexo masculino, com idades entre 38 e 77 anos; e quatro pacientes do sexo feminino com idades entre 46 e 85 anos. Destes, três estavam internados fora, nos municípios de Socorro, Atibaia e São Paulo. A soma dos óbitos engloba também pacientes que aguardavam o resultado do exame.

Bragança Paulista agora soma 170 óbitos confirmados e nenhum suspeito.

No mesmo período de apenas três dias, foram registrados 577 novos casos suspeitos de Covid-19. Dos que aguardavam exames, 292 foram confirmados, 298 descartados e 420 ainda continuam em análise. Assim, a cidade soma, desde o início da pandemia, 20.552 casos notificados ao Ministério da Saúde, com 10.024 testes negativos e 10.108 positivos.

Todos os 70 leitos Covid-19 estavam ocupados nesta sexta-feira, sendo 34 de UTI e 36 de Enfermaria, que atendem toda a Região Bragantina.

De acordo com o boletim epidemiológico desta sexta-feira, 22 pacientes SUS estavam internados fora da região; e 11 aguardavam vagas, sendo 5 para UTI e 6 para Enfermaria.

NOTA DA REDAÇÃO

Nos últimos dias repercutiu nacionalmente a alarmante situação do município no enfrentamento da pandemia. Grandes veículos de comunicação do país, como o jornal “Folha de S. Paulo” e o canal de televisão “CNN”, deram destaque ao colapso no sistema público de saúde em Bragança Paulista, um triste retrato do município sendo levado para todo o país.

As belezas naturais, turísticas, culturais e esportivas, os avanços na mobilidade, etc., poderiam ser pauta para esses veículos, mas essa missão fica para os veículos locais. Aguardamos ansiosos que essa situação seja controlada, que a vacina chegue a todos e que o mais breve possível possamos, com a força de um veículo de comunicação local, divulgar notícias boas e que tragam melhor qualidade de vida e esperança para a população.

Conversas no Facebook