Coronavírus

Internações em UTI registram a menor taxa desde março

publicado em 23 de setembro de 2020 - Por BJD

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira, 23 de setembro, o número de internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) caiu na região.

Dos 40 leitos disponíveis para o tratamento, apenas 13 estavam ocupados, um percentual de 32,5%. Segundo a secretária municipal de Saúde, Marina Fátima de Oliveira, essa é a menor taxa de internação dos leitos Covid-19 desde março.

Dos 13 internados, dois são de Atibaia, seis de Bragança Paulista, um de Piracaia, dois de Socorro, um de Tuiuti e um de Vargem. Os 40 leitos de UTI Covid estão distribuídos no Hospital Universitário São Francisco (10), Hospital Bragantino (10), Santa Casa de Bragança (13) e Santa Casa de Socorro (7), que recentemente foi habilitado pelo Ministério da Saúde.

Conforme os gráficos disponibilizados pela Secretaria de Saúde, em Bragança Paulista, nas últimas quinzenas, vem caindo o número de internações em UTI. Em março, houve um pico, com 10 internados. Na segunda quinzena de junho e primeira quinzena de julho, houve novo pico, também com 10 internações nos dois períodos, somando 20.

Na segunda quinzena de julho novo pico, agora com 18 internações. De lá para cá, esses números caíram para 7 na primeira quinzena de agosto; 8 na segunda quinzena do mesmo mês e 7 nos primeiros 15 de setembro. Do dia 16 até o dia 22 de setembro, foram apenas três novas internações em UTI.

Já em leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 57,5%, ou seja, dos 40 leitos, 23 estão ocupados, sendo: quatro de Atibaia, um de Bom Jesus dos Perdões, 16 de Bragança Paulista, um de Tuiuti e um de Vargem. Dos 40 leitos, 30 estão na Santa Casa de Misericórdia e 10 no Hospital Bragantino.

“Essa situação [dos leitos com baixa ocupação] não nos coloca numa posição de relaxamento. Muito pelo contrário. Se estamos nessa condição é porque estamos fazendo toda a prevenção possível: uso máscara o tempo todo, higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, distanciamento social e sem participar ou promover aglomerações”, afirmou Marina de Oliveira em live transmitida na página do Facebook da Prefeitura.

Ainda de acordo com os boletins epidemiológicos divulgados entre terça, 22, e quarta-feira, 23, houve a confirmação de 90 novos casos.

VACINA

Os resultados de uma pesquisa com 50.027 voluntários na China demonstram que a vacina Coronavac, desenvolvida em conjunto com o Instituto Butantan, não apresentou reações adversas significativas. Do total de voluntários, 94,7% não tiveram reação adversa.

Outros 5,3% sentiram efeitos adversos de grau baixo, como dor no local da aplicação, febre moderada e perda de apetite. Entre as pessoas com mais de 60 anos, a vacina foi aplicada em 422 voluntários e os resultados apontaram 97% de eficácia. Os estudos em crianças têm 552 voluntários de 3 a 17 anos.
Os estudos clínicos da vacina também estão sendo realizados no Brasil desde julho, e nos quase 5,6 mil voluntários não houve registro de reação adversa grave.

Até dezembro, o Instituto Butantan receberá 46 milhões de doses da Coronavac, sendo 6 milhões de doses da vacina já prontas para aplicação, além de outras 40 milhões de doses que serão formuladas e envasadas no Brasil. Além disso, outras 55 milhões de doses devem ser disponibilizadas até fevereiro de 2021.

Conversas no Facebook