Coronavírus

Em fase final de recuperação, padre Juzemildo comenta sobre doença e diz que está bem

publicado em 24 de abril de 2020 - Por BJD
Padre Juzemildo está à frente da Área Pastoral Santa Clara de Assis, no Jardim Águas Claras (Divulgação)

A Diocese de Bragança Paulista confirmou nesta semana o primeiro caso local de Covid-19 em um sacerdote. Padre Juzemildo Albino da Silva, de 58 anos, que está à frente da Área Pastoral Santa Clara de Assis, no Jardim Águas Claras, conversou com a reportagem do Bragança-Jornal por telefone, e disse que está bem e em fase final de recuperação.

Segundo o sacerdote, no final do mês de março ele começou a apresentar alguns sintomas. “Estava celebrando em casa e depois, no dia 5 de abril [Domingo de Ramos] celebrei na Igreja. Esta foi a minha última celebração”, explicou. As celebrações eram feitas online.

“Nos primeiros dias comecei a sentir uma certa pressão no peito, um pouco de tosse e dores no corpo. Era uma tosse seca, sem coriza, mas constante. Por essa razão, fui me afastando aos poucos da comunidade”, afirmou o vigário. “Eu procurei o médico no dia 7 de abril, quando os sintomas já estavam mais fortes, com bastante tosse e dores no corpo, e comecei a sentir fraqueza”, contou. No Hospital Universitário São Francisco (HUSF), ele fez exames e foi medicado.

“Num primeiro momento, os médicos avaliaram como quadro possível de Covid-19 e voltei para a casa. Depois de sete dias voltei ao hospital, pois não senti melhora. Estava tossindo muito, com muitas dores no corpo, fraqueza, dor de cabeça. Tive pouca febre e dor de garganta”, relatou. Ele chegou a ser internado na semana passada, entre os dias 14 e 16 de abril, no Hospital Universitário São Francisco (HUSF). Atualmente não apresenta mais os sintomas característicos da doença, apenas um pouco de tosse, e se recupera em sua casa, nos últimos dias de isolamento.

O exame que atestou a Covid-19 foi confirmado no início desta semana. “Não se sabe como o sacerdote adquiriu o novo coronavírus. Pedimos as orações de todos pelo Pe. Juzemildo para que logo possa retomar as suas atividades”, disse, em nota, a Diocese.

“Quero dizer a todos, está tudo bem e nos próximos dias estaremos trabalhando em favor da população, em especial da comunidade de Santa Clara de Assis”, acrescentou.

AÇÃO SOCIAL

O padre realizava uma ação social para as pessoas mais pobres da comunidade do Jardim Águas Claras e adjacências. A Igreja estava servindo uma média de 160 refeições diárias. “Nós paramos oficialmente a ação no dia 7 de abril. Nós conseguimos muitas doações e pessoas da comunidade cozinhavam.

Foram 9 dias e infelizmente não tínhamos como continuar, vimos que nossa equipe estava exposta ao risco, mesmo com o uso de máscaras, luvas e álcool em gel. Nós também distribuímos máscaras para as pessoas que vinham buscar o alimento. A comunidade fabricou as máscaras e doou aos mais necessitados. No dia 9 nós pegamos todos os alimentos, montamos 80 cestas básicas e distribuímos para as famílias. Para este mês, nós vamos repetir a ação, para não deixar as famílias desassistidas”, disse.

“Quero agradecer a tantas manifestações de apoio, de afeto e carinho, que mostram como as pessoas me querem bem. Só tenho a agradecer a Deus por isso. Tentamos trabalhar pelo bem de todos, indiscriminadamente, e lutar para que haja justiça para o bem de todos.

Agradeço as pessoas da comunidade, que ajudaram a cuidar de mim, as que ajudaram a organizar as atividades da Igreja na minha ausência e as pessoas que rezaram por mim. Só tenho o que agradecer a Deus. É um momento de gratidão plena.

Talvez esse seja um momento de aproximação das pessoas que estavam distantes, um momento de refazer e reconstruir amizades, refazer caminhos, propósitos. Não reclamo da enfermidade. Eu agradeço a Deus por poder continuar sendo um instrumento Dele no meio dos homens. Quero continuar servindo todos os dias, com alegria, enquanto eu puder”, finalizou padre Juzemildo.