Coronavírus

Com os 80 leitos ocupados e fila de espera, Bragança ultrapassa a marca de 230 mortes por Covid-19

publicado em 23 de março de 2021 - Por BJD

Entre sábado, 20, e terça-feira, 23 de março, Bragança Paulista confirmou mais 16 óbitos por Covid-19. São eles: seis pacientes do sexo masculino, com idades entre 45 e 64 anos; e 10 pacientes do sexto feminino, com idades entre 38 e 77, que estavam hospitalizados. Houve também o registro de um óbito suspeito, de uma paciente de 84 anos.

Assim, a cidade soma 232 óbitos confirmados por Covid-19 desde o início da pandemia.

Todos os leitos disponíveis para tratamento da doença estão ocupados. Ao todo são 80, sendo 47 de UTI e 33 de Enfermaria. Além disso, até o boletim desta terça-feira, 21 pacientes SUS estavam internados fora da Região Bragantina e seis aguardavam vagas, 4 para UTI e 2 para Enfermaria.

Durante o mesmo período, de sábado a terça, foram registrados 636 novos casos suspeitos da doença. Dos que aguardavam exames, 308 foram confirmados, 309 descartados e 500 ainda continuam em análise. Assim, a cidade soma, desde o início da pandemia, 23.800 casos notificados ao Ministério da Saúde, com 11.855 testes negativos e 11.445 positivos.

MEDICAMENTOS PARA INTUBAÇÃO EM FALTA

Quanto à falta dos medicamentos que compõem o ‘kit intubação’, a Prefeitura afirmou se tratar de um problema generalizado, que inclusive atinge Bragança Paulista e municípios da região – os hospitais possuem essas medicações para poucos dias. “Todos estão tentando adquirir junto aos fornecedores, os quais estão com preços exorbitantes. Além disso, aguardamos os fornecimentos que chegam via Ata da Secretaria de Estado da Saúde”, ponderou em nota.

A Prefeitura informou ainda que não há desabastecimento de oxigênio. Embora nas últimas semanas tenha aumentado muito o consumo de oxigênio em decorrência do elevado número de internações, a Santa Casa de Bragança Paulista, a UPA Vila Davi e o Hospital Universitário São Francisco possuem tanques de oxigênio abastecidos e não há registro de problemas. Ademais, há cilindros na UPA Bom Jesus, em que parte está em uso, parte sendo recarregada e parte em estoque.

Conversas no Facebook