Colunistas

Votar “contra”, e não “a favor”

publicado em 6 de outubro de 2018 - Por Marcus Valle

       Muita gente diz: “odeio Bolsonaro e vou votar no PT”, ou “odeio o PT e vou votar no Bolsonaro”. Tenho ouvido muito esse equivocado, absurdo e desastroso “argumento”.

Deveriam votar no Bolsonaro ou no Haddad os que concordam com suas ideias. Mas há muitas opções: Ciro Gomes, Alckmin, Marina Silva, Meirelles, Álvaro Dias e Amoedo, todos eles fugindo dessa “polarização extremista”, que nos parece danosa para o país.

Precisamos de paz, tolerância, democracia e diálogo.

Votar com raiva, é “votar contra”, não vai dar certo.

É a rota para o desastre.

Falta lixeiras

          Não tem lixeiras em volta do Lago do Taboão. Anos atrás, dezenas foram colocadas, e destruídas em menos de um ano.

Hoje não há como descartar o lixo. Precisamos implantar.

Reclamação – São José

          Recebemos abaixo-assinado de moradores do Jardim São José (33 assinaturas) reclamando de poluição sonora no bairro.

As questões levantadas são: veículos com som altíssimo, motocicletas com escapamento aberto fazendo enorme barulho, som alto em bares da Avenida João Polidori até de madrugada, brigas, gritarias e consumo de álcool e drogas na rua.

Encaminhamos o abaixo assinado para a Polícia Militar e Prefeitura (Secretaria do Meio Ambiente, e setor de fiscalização) solicitando providências urgentes.

Montanha do Leite Sol e Usina

Em relação à Montanha do Leite Sol e Usina da Mãe dos Homens, locais onde há grande potencial turístico e que embora sejam áreas particulares poderiam ser negociadas por permuta (sem gastos em dinheiro), pois não têm grande valor comercial, a Prefeitura nos respondeu oficialmente que a administração municipal não tem interesse atual em obter esses locais, pois prioriza áreas públicas. Que coisa triste! Uma pena.

Terceirização na Educação?

          Recebemos abaixo-assinado de professores e funcionários da Escola Municipal Padre Aldo Bolini.

Essa escola era localizada na Rua José Roberto Mantovani, e por ações do tempo, no ano de 2011, a escola apresentou rachaduras, sendo demolida tempos depois. Em virtude disso, os alunos foram transferidos provisoriamente (8anos?) ao prédio da escola CAIC.

Os professores e funcionários alegam terem sido informados que quando estiver pronto o novo prédio, não voltarão para essa escola, pois a mesma será terceirizada (assim como outras novas também serão). Fato é que eles não concordam em serem removidos, até porque a escola é antiga, apenas o prédio é novo.

Fizemos pedido de informação a respeito, e aguardaremos a resposta do Executivo, para uma manifestação mais detalhada.

Faixa de pedestre perigosa

          Em frente ao “Vitrine do Lago”, tem uma faixa de pedestres que, logo, logo, vai morrer gente ali.

Precisa ser feita uma faixa elevada lá. Já pedimos várias vezes, e… nada. Quando morrer alguém, vou responsabilizar os omissos.

Tapume na calçada

          Bem próximo ao “Vitrine do Lago” a calçada esta tomada em mais de 50% por um tapume.

Há cerca de seis meses denunciamos a questão, e nos responderam que o tapume era irregular e já haviam notificado o dono do terreno para retirá-lo. Nada aconteceu.

Vergonhoso. É só omissão? Ou alguém protegido?

 Câmeras em escolas

          Em São José do Rio Preto, tem a lei 12.953/18, que dispõe sobre instalação de Câmeras em escolas e creches do município.

A ação foi contestada quanto a sua constitucionalidade (fere o direito de imagem das pessoas), mas o Tribunal de Justiça a considerou legal (já que as imagens são armazenadas, e não divulgadas).

 Folclore

             Em 1986 ou 87, na Câmara de Bragança, discutiam sobre um tema do momento. Dois vereadores lançaram sobre tal questão, ideias estapafúrdias.

O vereador Diaulas pediu a palavra e começou a ponderar, mas foi interrompido por um dos vereadores:

O senhor tem que escolher qual das duas ideias é melhor.
Diaulas olhou…e respondeu:

Entre ser picado por urutu e cascavel… não escolho nenhuma das opções.